sábado, 23 de janeiro de 2010

Poetando.




Canta a cotovia!
Envia
via,
vide est:
gorgear
diurno,
acorde.
E
a vida,
torna-se,
breve encanto.
Ouvidos
registram,
precisão
d'alma:
parada-brusca.
Abafando,
maquiando,
cada
soluço.
Tropeço-d'alma!


Tata Junq
Enviar um comentário