segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Prosopoetando & Musicando & Cantarolando a vida... Minha voz.



A minha voz navegou rio,chegou no mar.    
Buscou profundeza,     
calou.    
Não ecoou.    
Ao emergir,virou espuma,    
idas e vindas,sequenciais,    
pousou na areia fria,    
marcadas pela solidão,     
na estranheza de uma canção,    
na ventania,que se apossou meu coração.  
A boca fez gemido,murmúrio,cativo.
O olhar perdeu-se no trilho marcado,   
de uma vez,dourado,na quentura de um verão.
Sendo assim,delineado,    
o final,que se bastou,espelho.   
Sem reflexos.   
Cego.    
Sem sereia.  
Sem barco.    
Sem ser,sendo morte.   
Âncora profunda,adentrou às águas,    
afogou todos sonhos vãos.    
A boca fez sorriso,das tolices do coração!   
Cantarolando,    
serenei o coração.   

Tata Junq



Enviar um comentário