quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Mini Conto: Rosinha.



                                 ( Imagem por pesquisa / Google.)

Rosinha cuspiu no chão de terra. A terra engoliu a catarrada,tão seco era o terreno.
Faltava-lhe saliva,no entanto, e sobrava-lhe,muita raiva.
Raiva daquele lugar no meio do nada,no meio de tudo.
Meio ao deserto,sem mudanças.Sem o que comer,porque nada a comprar,ou plantar.
A terra não era generosa,o tempo quente,abusivo.
Sua barriga gorda de quinto filho,pesava.
Seus pés rachados,inchados,doíam muito.
Queria ganhar o mundo,sumir,pra não morrer de tédio e fome...
Simples seu pensar,já que a vida era só compilações de complicações ...certamente seu filho também morreria ou no parto ou depois de fome ...não produziria leite,nem lágrimas.
Não mesmo.
Suava frio ...mas os lábios também rachados,estavam secos.
Sua alma está seca.
Seu olhar não mareja,nem alcança o infinito.
Cai,tomba a infeliz.
Nem carcará vai querer ossada.
Nem carcará!
Nem carcará,nem preá,nem Rosinha,nem vento.
E,ninguém por lá,pra um lamento.
No meio do nada,um nada.

Tata Junq

Enviar um comentário