quinta-feira, 17 de abril de 2008

Rio dos sonhos



As águas límpidas do rio dos sonhos, transbordam energias, agora, puras.
Espelham minh'alma _ tão fosca, tão sem jeito, tão sem brilho.
Ah! Duendes, Yaras... desta floresta de cores e amores... vêem esta face oscilando nas águas? Ela chora dores, tem sulcos, marcas da saudade, de enfrentamentos ... tem rugas ... ficou velha, dura como ébano.
Ela precisa de sonhos , somente ...

Tata Junq
Enviar um comentário