quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Do Projeto,Um Alma Feminina: Maria Rita.


                                           (Imagem por pesquisa. / Google.)


Em riste,dedos.
Palavras ferinas.
Descontroles de ambas as partes.
E o céu desmoronava,em lágrimas vertentes e trovões.
Assim via meus pais e vi tantas vezes ...
Mas havia noites de lua e gemidos de prazeres,que pareciam um só.
E os sorrisos acordados em seus rostos,jamais os esqueci.
Saudades da família.
Saudades de todas as saudades,que se alastram em meu coração,nesta manhã,invernosa.
Olho a neve lá fora,mas não sinto frio.
E meu olhar fica perdido na brancura alastrada.
Queria voltar à minha casa,abraçar meus pais... hoje tão velhos e cansados.
Já não suam em seus lençóis,num amor incontido.
Não há mais contestações,nem em murmúrios.
Olhares perdidos em vazios.
Maria Antônia,olha por eles.
Eu fugi.
Não suportava mais a alienação de ambos.
Afinal,precisava eu viver.
Viver?!
E as lágrimas vertem geladas ... a saudade dói.
Nas lembranças,quis carregar todos os seus sorrisos,pra reforçar a alma a cada dia.
Maria é heroína,eu,covarde.
Não quero navio em mar,pra levar-me de volta.
Lágrimas em sal,aqui em Portugal.
Só o olhar perdido, o tilintar da velha máquina de escrever.
Cada palavra,o drama.
Drama de um amor em abandono.
E a ciência,que tenho,de minha solidão.
Eu,minha história,a neve,que congela lá fora.
A tinteiro,depositei ao lado do bloco de notas.
Hoje não quero poemas ...
Começo a delinear minha vida,na necessidade de ouvir o tilintar
dessa máquina,que trouxe de meu lar...
E pude a cada palavra,entender o efeito,que havia para meu pai.
Hoje não há crônicas para o Jornal,nem dele,nem minhas.
Hoje não há poemas.
Hoje há vida,aqui nesta sala e lá fora,num contraste duro de reabilitar.
Meu olhar alcança agora,a toalha de engomar.
Trouxe-a também.
Quantos dias vi minha mãe a bordar,chorar,resmungar,suspirar ... e adormecer ... na escuta da máquina de escrever.
Aquele homem sábio,era meu pai.
Aquele homem gentil,de sorrisos frouxos,era meu pai.
E que orgulho me dá ... e, que tristeza por ter visto aquela mente brilhante,sucumbir aos poucos.
No,"quem é você"? ... "Maria Rita está chorando,caiu do balanço ..."
Maria Rita,sou eu.
E começo minha história.

Uma Alma Feminina,
Maria Rita.
Do Projeto,Uma Alma Feminina,por Tata Junq
00:26
12/01/2017
Enviar um comentário