quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Do Projeto,Crônica de Mais um Dia ...Conjecturas ...de um "bolo".



Explorei o chão,asfalto.
Explorei o céu,pipas coloridos,tempo de ventos.
Explorei o lado,buscando sentidos.
No corredor,pessoas em fluxo.
E na escada que rola,único degrau,ocupei.
Em olhar desmedido lhe procurei.
Fim de linha,não o encontrei..
Pausa pra um café,sem diálogos... somente o olhar da criança,pregado em seu brinquedo.
Nem ele ousou-me encontrar..
A mãe curvada em seu celular,sequer viu-me também.
Todos pareciam alheios,inclusive o marido ao lado.
Mais adiante,um homem que transpirava impaciência,frente a uma loja de artigos femininos,
caminhando de lado a outro.Deduzo que espera sua mulher,amante,filha ... sei lá quem .Mas
na certa,uma presença feminina ... ou,não?
Resmunga feito velho ranzinza,coisas inaudíveis,incompreensíveis,na verdade.
Fico na dúvida.é um surtado,fora "da casinha"?
Háháhá ...
E na procura de meu bem,que não chega,meus olhos dançam de lá e cá.
Ufa! Felizmente,vejo jovens namorados,em deliciosos abraços e beijinhos.
Que inveja branda e branca!
Que idade notável e salutar,a mocidade.
Quero acreditar que sim.Que a garota conheça a pílula do dia seguinte,ele a camisinha ...porque a química é forte.
Viraram para o corredor,que os leva aos elevadores.
Creio,que o aperta aqui e deslisa ali,rolará em um,se vazio.
E imagino também o que terão a contar no futuro,o rala-e-rola e festival de desejos.
Que vida colorida!
Na sequência,uma senhorinha caminhando em dificuldades,mas muito bem amparada,deve ser sua filha e há no rosto o estampar do prazer de conduzi-la.
Que vida colorida!
Vai-vem na escada rolante. São jovens,adultos,crianças,muito bem arrumados,bonitos,prosadores,risadores,distraídos,atentos,concentrados ...
Que vida colorida!
Meu bem,não vem.
Meu bem,vem?!
Não veio.
Quis ousar sorrir,colorido também ...
Então,compensarei ... 
Consumista,vou experimentar muitas botas,sapatos,sandálias ... e não sairei de mãos vazias ...  e, de quebra,uma bela bolsa.
O cartão de créditos,sorri pra mim e eu ,pra ele.
Sorvo meu outro café extra-forte,olho mais uma vez pros lados.
Caminho lentamente ...
Não comi bolo,"levei bolo"!
Sequer me ligou.
Coração aperta,garganta seca,mãos suam.
Lá está!
A bolsa de meus sonhos!
Esqueço a que vim,entro na loja e recebo o sorriso do vendedor,que vai defender o seu dia.
Ponho uma sandália bem alta,pra compensar o chão que piso,que parece me engolir.
Fico alta,destemida e me iludo mais uma vez com a vida.
Que vida colorida,penso.
Pincéis e tintas,por favor!
Preciso colorir meu dissabor.
Ainda,falta-me sapato lindo e um amor.
Ainda tenho na boca o sabor café ...
Agora,um drops de hortelã,sim?!

Tata Junq

Enviar um comentário