domingo, 8 de maio de 2016

Pensamentando & Musicando ...Amanheço.

Ode aos deuses do sono!
Que não me punam por ser uma notívaga.
Que castigo há de ter?!
No silêncio da madrugada há almas penadas?
Vagantes?
Onde fica o fim da estrada?
Já fiz caminhos e os percorro.
E no escuro breu,não há espaços pra medos.
Nem há pios da coruja.
Nem corridas das preás.
Farfalhar das folhas secas...é outono.
Estalidos ao pisá-las ...
Sou peso corporal,não alma desgarrada.
E a cada passo,a certeza que amanhecerá.
E pessoas acordarão ...umas semi mortas,maquinalmente.
E, vão atropelar o tempo,na certeza.
Eu cadencio meus passos,mornamente... qual chá deixado de lado.
E olho o céu,carregado de estrelas ... são lumes de efeito.
Crendo ser um caminho perfeito.
Nada entendeu,não é mesmo?
Então,que tal a canção que cantarolo?

Tata Junq


Enviar um comentário