sábado, 20 de fevereiro de 2016

Delicadeza ...






Alma delicada,a minha.
Dedicada.
Caprichada.
Dançante,na canção de agora.
Qual sopro de boca-de-criança,
em bolinhas de sabão,
iluminada de raios do Sol.
E vai e vem
Sobe, desce,
gira,gira ...
colide aqui e ali,
não desfaz.
Assim capaz.
Assim amante.
Num tempo fugaz.
(E,talvez,não retorne,jamais.)

Tata Junq
Enviar um comentário