segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Projeto,Quem conta um Conto,Aumenta um Ponto ...A Capelinha.

                              ( Imagem por pesquisa / Google.)
E se há tormento ...
Onde a paz?
Assim aquela menina-moça,entrou na humilde capela,ajoelhou,orou,chorou.
Sentia a falta de sua mãe,de seu pai,de seus irmãos.
Viera pra esse buraco do mundo,pra casa dos tios,a trabalhar,pela necessidade que atravessavam.
Precisava ajudar a sua família... mãe estava adoecida,pai quase sem enxergar,irmãos pequenos,mesmo assim nas lidas dos plantios.
Ela chorou.
Gosto amargo na boca.
Podia ainda ouvir os gritos daquela mulher tirana,chamando-a de lerda,incapaz.
Passou a frequentar o lugar ... ornamentar o altar,todas as vezes que pudesse.
Aos poucos,tudo mudou ali.
Caiou as paredes... o perfume das flores exalavam ao vento,que invadia, através das janelas abertas,pequenas,mas proporcionais.
Era seu lugar.
Não entendia aquele abandono ...
Até que num belo dia,receberam a visita do Pastor,que convenceu a família a abandonar todas as imagens da casa,porque era coisa do capeta.
Destruí-las!
Abominá-las!
Somente a bíblia...disse ele ...quem concebe o Sr?
Num uníssono ... todos.
Amém!
E,foi assim ... naquela semana fatídica,que a pequena capela foi ao chão...tijolinho por tijolinho,e imagem da Santa Luzia,virou pedaços...nem a cruz sobrou,nem o terço,de madeira ...
Ela chorou copiosamente,e odiou aquele pastor.
Ele era moço ainda e tão articulado,tão impiedoso.
Ficou noivo da prima Anastácia.
Motivo de orgulho à família.
Sua mãe,morrera,sem sua presença.
Ela retorna à sua casa.
Com o tempo sabe dos pormenores da família.
Casamento consumado.
Recebia,no entanto,cartas da prima,chorosas.
Era infeliz.
Não conseguia engravidar.
Diziam na região,que era castigo da Santa.
Gracinda recorda-se da Capelinha,com ternura ... fora seu abrigo.
Não terá tempo pra responder a última carta,muito trabalho a realizar.
Toca no terço que recolhera  de lá,que reconstruíra ...olha a Santa,toda colada... e sorri.
Ela era abençoada e protegida.E ai daquele,que tocasse na sua fortuna,no seu tesouro.
E, bradou:
Senhora Santa,não nos abandone,nunca!
Amém!
Sei dos anos que correram ...na paz daquele sertão,no sítio que prosperou ... das crianças felizes que cresciam ...e, do abandono do outro,consumido pelas mortes...Diziam que era mal assombrado.
Verdades? Mentiras?
Dizem,que se escutam marteladas,descendo ao chão,as paredes da capelinha ...e que a Santa,chora e que o Capeta ri muito alto.E sua risada assovia ao vento.
Você,leitor,paga pra ver?
Eu somente conto o que me contam,dos que contaram.
Reza cada conta de terço,é o que afirmaram.
Então,Ave Maria cheia de graça, o Senhor é convosco ...

Tata Junq
( Projeto,Quem conta um Conto,Aumenta um Ponto.)

Enviar um comentário