sexta-feira, 19 de abril de 2013

Na prosa poética:sendo um ser vencido.




VIDA

Ela não é bandida!

Queria ser um altiva moura.
Poderia até ter um cavalo alado ...
Percorrer campos, e céus ... e ser encanto.
Queria ser o encanto de ti ... de tis ...
(Inventado ... )
Mas as armadilhas de mim, vencem-me.

Sou poeta,
em 
brisa
mansa.

Sou mulher,
na cerne,
densa.

Sou metal 
em
brasa,
distorcida.

Sou
som
da
vida,
em melodias,
frágeis.

Sou orvalho
da 
manhã,
que
embebeda

terra.

E, 
que
escondida,
dorme.

Tata Junq

Enviar um comentário