sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Poetando, amor! Estações absolutas. ( PROJETO: ALMA FEMININA)





Pensas em mim?
Eu, lembro de ti,
mesmo no inverno
instalado em mim.


E outonizo as dores,
caídas,
uma a uma,
sem varreduras do vento,
espalhadas ao chão.


Não ouso recolhê-las agora.
Não posso, não consigo.
Nem ouso pisá-las.


E, vagueio, perdida em mim.
Tão desejosa de amor.
Inverno, gélida em abandono.


Clareio qual verão!
Exponho coração, doente.


Serpenteio, primaveramente
o que de mais bonito,
um amor que resiste,
mesmo em dor.


E, perco-me em mim,
tão saudade,
quando as estações, 
deveriam estar mortas.


Tata Junq
Enviar um comentário