domingo, 8 de julho de 2012

Poetando, refletindo,e palavreando sentidos. O vento não leva, leva?

O vento não leva, leva?


Não quero!
Não quero!
Não quero!


Não quero!
Não quero!
Não quero!



Não quero!
Não quero!
Não quero:
abandono,
sono,
sonho.


Quero acordada,
acordar
uma madrugada,
pra que ela
ecoe
minha saudade
de
tua presença,
de teu toque,
"maçã-do-pecado",
acordando-me desejos,
lampejos d'amour!


Mel-melados,
beijos
sem-fim,
acordando
o
melhor-de-mim.


( Por quê??? 
levo-te
em
mim.)


Tata Junq

Enviar um comentário