domingo, 27 de maio de 2012

Poetando: Mar-de-vento.







Nas asas soltas,
ao vento,
um amor,
delicado,
dedicado.
E, busca o céu,
suave momento.
Num azul 
que
lembra mar.
Num mar,
que lembra,
você!
Netuno, de asas rompantes,
que
volita ao vento,
no mar-de-meu-pensamento.


Asas ritmadas!
Tresloucadas!
Mar-de-vento!
Luz de meu pensamento.


Onde estará você,
neste exato momento?


Dorme e flutua?


Mar!
Oh... 
Mar!
Serena!


Traz pra mim,
em barco profundo,
esse amor-maior, do Mundo!
E, faz-me sereia-cantante ...
E, faz-me serena, dissimulada ...
E, deixa-me envolver,
dominar,
inebriar,
de forma,
triunfante.


Que seja meu,
esse amor, 
perdido

distante!


Netuno!
Menino-azul!


Transpareça,
antes 
que
anoiteça!


Tata Junq
Enviar um comentário