segunda-feira, 2 de maio de 2011

Pensamentando ... ACEITE-ME!





O inverno-de-mim,incoerente,aquece-te.
Entre  estações, aconteço e, ou, amanheço.
E a cada período, tomo-te, envolvo-te. A ternura é pavio em chamas!
O amor, transborda e derrama.Teimosamente, insistente.
E te abraço, numa acolhida, plena.
Há abrigo seguro.
Há invernos-quentes!
Há primaveras- geladas!
Há outonos-floridos!
Há verões-do-tudo-ou-nada!
Mesmo no avesso, do avesso,resgato-te, na lonjura que nos limita.
Vezes serena, vezes oculta, vezes contente, vezes descontente, vezes falante, vezes muda, vezes errante,vezes sonhando,vezes acordada, vezes magoada, vezes rompante, vezes tolerante, vezes intolerante ...e, todas as vezes, delirantemente ardorosa, plena de amor.
Hibernantemente, em sonhos ...reagente em atos, acordada ... busco-te e ofereço meus braços, meu corpo, minh'alma, coração gotejante, para seu eterno abrigo: inteira!
Dou-te-me: primaveril, veraneada, outonesca e invernante, toda!
Mesmo às avessas ...
Dou-te-me!
Aceite-me!
Agora: em chamas!

Tata Junq
Enviar um comentário