domingo, 5 de setembro de 2010

Pensamentando com música: O VENTO!



O Vento
Los Hermanos
Composição: Rodrigo Amarante


Posso ouvir o vento passar,
assistir à onda bater,
mas o estrago que faz
a vida é curta pra ver...
Eu pensei..
Que quando eu morrer
vou acordar para o tempo
e para o tempo parar:
Um século, um mês,
três vidas e mais
um passo pra trás?
Por que será?
... Vou pensar.


- Como pode alguém sonhar
o que é impossível saber?
- Não te dizer o que eu penso
já é pensar em dizer
e isso, eu vi,
o vento leva!
- Não sei mais
sinto que é como sonhar
que o esforço pra lembrar
é a vontade de esquecer...
E isso por que?
Diz mais!
Uh... Se a gente já não sabe mais
rir um do outro meu bem então
o que resta é chorar e talvez,
se tem que durar,
vem renascido o amor
bento de lágrimas.
Um século, três,
se as vidas atrás
são parte de nós.
E como será?
O vento vai dizer
lento o que virá,
e se chover demais,
a gente vai saber,
claro de um trovão,
se alguém depois
sorrir em paz.
Só de encontrar... Ah!!!

Pergunto-me o porquê de minha identificação com os ventos ... amo sentí-los, no corpo, na alma.
Amo ventos uivantes!
Agora, 04:32 hs ... o tempo mudou e venta bastante ...e escuto os sons dos "bailarinos", pedras que se tocam e sonorizam ... musicalizando a manhã que se inicia ...e também amo pedras.
Nesta madrugada,sinto a força da Natureza.
Sinto o vento adentrar em meu quarto,envolvendo-me.E cresço, e fico forte.
E parece proposital ...se anunciador de chuvas, não sei. Mas sei que chove em mim o desejo de pacificação, posterior à varredura que ele exerce.
E amanheço!
Não anoiteci!
E escuto um sabiá ...num canto mágico, que brinda-nos, todas as manhãs.Ele não se acua ... deve estar bem seguro, na árvore Primavera, já carregada de flores.
E há encanto em tudo: no vento, no pássaro,na árvore,nas flores vermelhas em pencas,no amanhecer, na vida.
Venta em mim, descortinando meu coração, todo em pedaços, proporcionais, doando amor a toda e qualquer criatura.
A alma é leve e espalha-se!
Voa em buscas, energizando seres que conheço, estende-se aos que não conheço ainda.
Da certeza, somente: sou amor!

Tata Junq









Enviar um comentário