sexta-feira, 2 de julho de 2010

Poetando, sempre! VULCÃO.


Como Vulcão

As lavas dormentes,
entram em erupção!
É assim,
você em meu coração.
Acorda em mim,
o calor da paixão ...
Acorda em mim,
o berço adormecido
e
trancafiado,
hora dominado.
Vem à tona,
o que de mais bonito:
o amor,
predestinado.

Tata Junq

Enviar um comentário