quarta-feira, 28 de maio de 2014

Proseando a poesia: Retorno.


Entre flores,depositei o Mundo,sem sustos.
Olhos infantis.
Os sorrisos doces,
alma melodiosa,
conversa com as borboletas,
tudo fluía num sonho bom,
acordada.
Cresci,
chorei,
sofri.
Vezes corro no tempo,
retrocedo.
Só pra resgatar

serenidade.
Beijar as flores,
sentir o morninho do Sol,
ver as borboletas inquietas e curiosas,
e ver-me  curiosa,sonhadora
de um Mundo calmo,justo e bom.
Espio,
bebo esperanças
e  acumulo a vontade,
de novamente,
ser CRIANÇA.
Jogando amarelinha,
sendo rainha
da lua,
nua de pensamentos,
brincando de roda
ou
jogando na rua.
Descubro-me no olhar,
sem mudanças,
que exala como flores,
o gosto do mel,
o amar.
E somo,
divido,
subtraio,
multiplico,
a VIDA,
na lembrança
do
sonhar.

Tata Junq
Enviar um comentário