sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Poetando a vida ...





No fundo do poço,
água.

(Minha boca é sedenta.)

Pela frente,
estrada.

(Solidão,arrastada.)

Não buscarei mais
os
porquês.

Este peso,
que carrego,
já me basta.

Tata Junq
Enviar um comentário