quinta-feira, 13 de junho de 2013

Pensamentando ...E vou seguindo ...





Sinto o cheiro de mato, a chuva no rosto, um certo conforto.
Atrelo-me ao cavalo-alado, e sonho espaços.
E, vejo brilho dos faróis,numa noturnez,invariável.
E,canto junto ao mar,qual sereia.
E, viro altivez de um guerreiro.
E, saio do contexto prosaico, racho lenha até cansar.
Depois viro relva,esperando seu coração em mim deitar.
E, acordo,orvalhando dores,em solidão desmedida.
E vou ... seguindo.
Não quero olhar pra trás,não faz sentido.

Tata Junq
Enviar um comentário