terça-feira, 22 de abril de 2008

No fundo do poço.


No fundo do poço, água.
No fundo do poço, o jovem que se deixou levar pelo prazer das drogas lícitas e ilícitas.
Quem vai resgatá-lo? Bombeiros? Família?
No fundo do poço, o jovem ...
Lamento tanto sofrimento, prazer e dor.
Lamento, a falta de amor : próprio.
Rezo para cada um, nesse momento.
Peço por cada um, nesse momento. Que a dor, passe. Que a angústia, passe. Que o prazer-doido e doído, passe. Que a vontade do uso desses prazeres, seja superada. Que a vontade de viver, seja resgatada.
Que a mão do amor alcance cada um, como faria um bombeiro hábil, que desce o poço.
Que a mão de amor paire sobre sua cabeça ...e num afago, sem preço, levante a moral e dignifique sua inquietante vida.
Por hoje ...
Por hoje, abstinências ... sem desistências ...
Amém.


Tata Junq
Enviar um comentário