sábado, 27 de maio de 2017

O Poder.

                                             ( Imagem por pesquisa. / Google.)

E te vi.
Bem-que-te-vi,
bem-te-vi.
Rondando meu quintal.
E  junto ao vento em assovios,
cantaste também.
Tão bem.
Tão zen.
Olhaste-me.
Olhei-te.
Pousaste.
Voaste.
E, como num recado,
o dia,
magistralmente,
começou,
sorridente,
mostrando o dente.

Tata Junq
Enviar um comentário