terça-feira, 16 de maio de 2017

Do Projeto,Uma Alma Masculina : Relato.

                                             ( Imagem por pesquisa./ Google.)
Ele e sua possante.
Desceu rua abaixo,sem deixar poeiras.
Há asfalto lavado de ansiedades.
Há suores no corpo e mãos.
Sabe-se lá em que beco se esconderá.
Sabe-se Deus, se voltará.
Assim como ele,milhares.
Assim como ele,embriagados de ópio,são agora marginais,fora do contexto.
E roubará,se for preciso!
Sua alma foi corrompida.
E,matará se for preciso.
Ou,morto será.
E o traficante reinará,impune e rei.
(Comendo as carnes-dos-outros,as almas-dos-outros.)
E as drogas continuarão chegando ... atravessando bairros,cidades,países ...e favelas...e becos...e chegarão em lares.
E haverá choros,dores,angústias,crises,lamúrias,desordens...
E haverá corpos desgastados,se não tratados ... debilitados,pouco a pouco.
E mortes.
Um caro prazer, pra morrer aos poucos...
Entre impunidades,muitos reis e rainhas.
E, muitos tolos súditos,aprisionados.
A mãe chora ... o pai perdeu a luz no olhar e mal trabalha.
Na certeza,eles querem ter a força de um super herói,invadir lugares e trazer nos braços,seu filho a salvo.
Mas são impotentes e frágeis.
E clamam a Deus,por milagre.
E,ajoelham-se e oram a cada dia.
Num até quando,que desconhecemos.
Ou sabemos?
Ironicamente,esta ladeira-rua, abriga local,que realizam reuniões de grupo de apoio aos dependentes e mais adiante,um ponto de entrega de drogas.Uma academia para adestrar corpos, mais adiante um posto policial desativado ...
Cruzes! Credo! Vivas!
Bairro de cidade grande!
E não é favela.
Eu,espio da janela o vai-vem noturno,fumando um cigarro,que não é de maconha.
Não mais.
Uma droga licenciada e sobrecarregada de impostos.
Dane-se!
Mata minha ansiedade.
Ponto crucial.
Não tomo a cerva,porque é frio.
Bebo café.
E pensar que num tempo atrás,eu estava perdido em becos.
Pego meu violão ... e tento uma canção,nova.
Mas atravessa-me na goela um nó.O nó da insatisfação e tomo-me de piedade.
E choro as lágrimas da Dona Maria e do seu José.
E choro por todas as Marias e Josés e seus filhos ludibriados.
E alimento minha alma de amor próprio.
Agradecendo por um dia,ter sido consolado,agasalhado de amor.
Tomara, que esse garoto,suba a ladeira novamente e adentre à sua casa e desperte,assim como eu,na graça dum milagre.
E,que Anjos,digam: Amém!

( Uma Alma Masculina / João Carlos Tadeu )
( Do Projeto,Uma Alma Masculina / Por Tata Junq)
Enviar um comentário