sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Poetando às avessas:Sincronias tantas.

                               ( Pesquisa por imagem. / Google.)

Não há tempo da espera.
Agora,meu ritmo.
E no abraço,
qual cintura apertada,
na sincronia performática da dança,
meu corpo,colado ao seu.
Assim tão seu,
em sincronias tantas.
Perfeição.
Entrega.
Êxtase!
Prazer!
Forrozeando,
amor.

Tata Junq
Enviar um comentário