terça-feira, 8 de agosto de 2017

A Morte de Serafina Brandão.( Contando Estórias.)


                                          ( Imagem por pesquisa. / Google.)

Ela rezou sem medos ... até que a rajada de vento levou seu telhado.
Desnudando até sua alma.
Destravou boca,que sussurrava aos Céus,e gritou,até que ficou rouca ... e murcha.
Estava só.
Nem Deus,nem Anjos.
Só. 
E o frio cortava suas entranhas,até.
Medo.
Escuridão.
Nem estrelas,nem Deus,nem nada.
Depois do depois da dor.
Sangrava.
Ela sabia ... já não mais sentia as pernas.
Uma noite,que pareceu eterna.
Amanheceu exaurida. 
Via o céu,cinzento ... sem sol,sem esperanças.
Rezou novamente e fez encomenda de sua alma, como aprendera com os antepassados.
E,sonhou ... de olhos abertos,com mãe,pai e irmãos lhe sorrindo ...
- Calma lá! Já to indo!
E sorriu,chorando de alívio.
E o vendaval retornou,e levou sua alma,brilhando sem sol,em sorrisos!
Assim,corre o causo da Serafina.
Hoje, terra de ninguém,na fazendinha.
Os fantasmas,moram lá.
( Dizem.)
Quem se atreve?
Botaram cruz na estrada,próximo à entrada.
Dizem,que as corujas piam por lá e estão de olhos bem abertos.
É ...vou acrescentando ... os ventos costumam uivar,como lobos.
Dizem,que todos retornam nas madrugadas ... riem,proseiam e vão-se embora.
Quem paga pra ver?!
...
Eu,só conto histórias em estórias...
Ou ... estórias em histórias?
Serafina Brandão,mora no céu ...
Ou na Fazenda Das Corujinhas?
Sei não ... sei não!

Tata Junq // Do Projeto,Contando Estórias.

sábado, 5 de agosto de 2017

Do Projeto, Alma Feminina: A Maria.

                                               ( Imagem por pesquisa. / Google.)
...

Há tempo pra sonhar,amar e também desertar,pensou Maria.
Olhou com desdém pras fotografias em mãos ... e as picou com a tesoura afiada.
Uma a uma,sem deixar vestígios de nada.
Riu,chorou.
Um misto de prazer e libertação.
Tocou fogo nos picotes.
Olhava para as labaredas,extasiada.
Sem mais medo de nada.
E gargalhou,com risadas diabólicas.
Tudo feito,tudo perfeito.
Qual crime planejado. e respaldado.
Nem calcularia a meses atrás,que seria capaz de deixá-lo.
Ele também não acreditava.
Levou a mão ao rosto,que não mais arderia com seus tapas.
Seu lombo,tem marcas.
Sua alma,mais.
E,feliz,cantando,saiu sem olhar pra trás.
Livre!

Amor-dependente,jamais!
Curará suas feridas no tempo que lhe é possível.
Maria,é a Maria-Coragem.
Despertou.
E ensinará à sua filha,tão miudinha ainda,o papel de uma mulher na sociedade.
E falará das injustiças.
E falará de abusos!
E falará de medos e coragens.
Olho pra Maria,sorridente,mostrando a falta de dentes,das bordoadas que levou.
Mas aliviada.
E aqui, neste grupo que se formou,renovou-se esperanças.
Sofrimentos divididos ... orientações ...
Hoje Maria veio se despedir.
Voltará pro Norte,de onde não deveria ter saído.
E na certeza,sua velha mãe a abraçará,mesmo em ignorâncias.
Mãe é abrigo.
(Ventre.)
E seguiremos com nossos objetivos aqui.
Registro os relatos da Maria,que se bem,não se chama Maria.
Preservamos o anonimato.
E a vida segue ...
E há mulheres,em sofrimentos,espalhadas pela cidade,pelo país.

Rosemary

(Uma Alma Feminina.)

(Do Projeto,Uma Alma Feminina. / Por : Tata Junq )

Poetando às avessas!



FOME!
DORME!

Dorme,fome!
Dorme fonte.
Dormem horizontes.
Somente acordados,os medos.
E
todos
os
degredos.

Tata Junq

Coisas de Tata ...rsrs ...



Eu te vi.
Bem que te vi,
meu bem-te-vi.

Bem que fala,
meu bem.

Assim
você
que
se
mostra.

E
eu
viro
docinho,
melado.
Derreto
quando
se
põe
ao
meu
lado.

Eu bem-não-vi ... mas vi,bem-te-vi ...

Ecoam suas palavras.

E,
 me transmuto,
em
asas.

Tata Junq

Assim ...sem eira nem beira ...palavras ...ao léu.


Se canto,encanto?
Sei que bordo meu manto.
Sem coroa,
sem reinado.
Não sou rainha nem rei,
sou
forma,
sem forma,
por agora.

Sou gota de chuva a declinar
na tarde fria de inverno.

Não sou tua.
Nem tu és meu.
Que importa?

Nada importa,
na orla triste
do céu,
como mar
cinzento.

Nem sequer
importa o
vento.

Sou graça,
sem graça.
Única.

Não sou rainha,
és rei?

Que importa?
Tudo e nada,
na convergência,
tangente,
sem elos.

Tu és rei no seu mundo.
Rainha sou no meu?

Sou plebe,sou mato,sou terra,sou chão.
Ou, cacho de bananas,que foi plantado,
sem coração.

Tata Junq

Musicando & Pensamentando : Musicando a vida,vou.( Grande Elis,de base!)


Bem isso ...minha casa de veraneio num ficava na Marambaia ...
(rsrs...)
Eu cantava com certeza ...
(rsrs ...)
Mas fico aqui pensando nos bons tempos de lazer.
Gratas recordações.
Minha casa vivia povoada de "gentes" ... de bichos também.
Não a tenho mais. Foi sucateada,arrematada por um aproveitador de circunstâncias,sem escrúpulos.
( Falência.)
Mas duvido,que ele tenha sido feliz nela.
E,sinceramente, " se se ferrou-se"...kkkkkkk ...bem feito!!!!
( Adoro sacanear a gramática.)
Queria mesmo uma casa no campo.
Aí... sim!
Plantar,ter animais livres,aves,passarada ... uma estrada florida de entrada ... uma varanda ...estilosa ...e um lugar pras ARTES ...e, uma porteira!!!!
E eu criaria tudinho,sem eira nem beira.
Sonho de consumo.
Vezes,sonhos batem na porta d'alma ... esquecidos que foram,pela realidade,que açoita.
Mas é bom reavivá-los ... faz-nos vivos,mesmo dando conta de
cada dia a cumprir.
Assim-assim: viver cada dia,e dar conta dele.
Musicando a vida,vou!

Tata Junq

Amanheceu ....aras!


E o galo, canta.
Adiantado?
Desregulado?
Mas ... canta ... e o som chega aqui no meu quarto,enquanto escrevo.
Hoje tudo silenciou ... não escuto nem o miado da nossa gata.
Só o cantar do galo,que anuncia um novo dia.
( Porque hoje,já é sábado.)
Pro diabo!
Meu estômago está zoado.
Enjoo ... literal.
Mesmo assim insisto num chá e bolachas ... afinal,sou uma diabética ...e mantenho de três em três horas,alguma refeição,mesmo que leve.
Hoje está frio ...e o chá também.
Só as idéias são quentes.
E saem do forno, da casualidade: meus pensamentos-bolo,
de-pão-de-ló!
Macios,doces,pra Inglês ver!
( Ironias ...)
E preciso dormir e o sono escapuliu!
Que diabo!
Que estômago enjoado!
Parece dor de fome ... mas é mais uma -ite: GASTRITE!!!
Que saco!
Amanheceu... e vai mais chá e agora com bolo.
( Criminoso.)
( O bolo.)
Medicação e insulinas ...
(Necessárias.)
Tudo anotado ...pra que eu não me perca nos horários.
Checagem e anotações.
Mal de quem é mega organizada.
(Affffffffffffffffff ...)
Enfim ...
Chega por hora ...
Bom dia,dia!
Bom dia,vida!
Boa noite,pra meu sono!
E sorrio das minhas bobagens ...
Fuiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii ...

Tata Junq

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Musicando & Pensamentando ...


Não haverá passarada iniciando essa manhã ...
Talvez você até duvide,que aqui na minha Sampa,a passarada nem se manifeste ...
Aqui na Zona Leste,os bem-te-vis fazem zoadas, mesmo no período do inverno...E no verão,são muitas as espécies a cantar e zoar ...até as maritaquinhas ...
Mas há chuva ...e estarão recolhidos.
( Como eu.)
E haverá silêncio geral.
Minha boca emudece.
Minh'alma entristece.
Não há espécies em revoada ... nem minhas asas.
Sou um pássaro engaiolado e triste.
Só há amor,pra sempre.
(Numa eternidade.)
E que cabe neste contexto,coração-de-mãe.

Tata Junq


Ficará na memória popular?! Registros ... do talento-ímpar, LUIZ MELODIA. ( Terei saudade...)


Registros pesquisados no YOUTUBE

HOMENAGEM... ou melhor, na tentativa de uma homenagem a esse talento da MPB ...

















 





Entre tantas gravações ... algumas ...

***" SE ALGUÉM PERGUNTAR POR MIM ... DIZ QUE FUI POR AÍ..."

E já deixa saudades,viu "moço-melodia"?!
" Perdemos" um grande e significativo,talento!!!!

Tata Junq

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Do Projeto, Palavras Ao Vento : Assim ...


                                                      ( Imagem por pesquisa.)



Assim a vida,correnteza.

É um exercício de coragem a todo instante.
Aprendeu a nadar?
Está seguro,num bom barco?
Não espere pela boia-alheia,camarada!
Vezes,pode ser uma cilada!
E na riminha,
ainda,
vou dando minhas braçadas.

Tata Junq

domingo, 30 de julho de 2017

Entre bom humor e fato.Desordem em ordem?




SUBLIMINAR
MENSAGEM

PODE?!

Quantos anos de azar?

Tata Junq

Poetando às avessas!



Liquefeito.
Efeito.
Lágrimas-de-amor.
Perfeito,
no imperfeito.

Quem dera,não fosse dor.

Tata Junq

* O poeta sofre a dor,que não sua.
Por que,não?

Do Projeto,Uma Alma Feminina: Adeus à Florisbela.

                                               ( Imagem por pesquisa. / Google.)

Ela subiu as escadas,virou à direita,rumo ao quarto no escuro.
Assim também no escuro,sua alma.
E no breu da desordem,passou primeiro ao banheiro.
Esvaziou armário ... todos os tubos de barbitúricos e ansiolíticos.
Não acordou mais.
Dormiu em sua dor,qual cama de mármore mortuária.
Fora bela.
Fora sorrisos joviais,largos e felizes.
Um dia,amanheceu muda,sofrida.
Ninguém entendia a razão e sua posterior depressão.
Florisbela,a bela,não dançará mais.
As sapatilhas foram colocadas,cuidadosamente em seu caixão.
Um véu tênue,cobre seu corpo e rosto frio e sem cor.
Florisbela,morreu de amor?
Há burburinhos ... e supostos palpites.
Eu olho,ainda incrédula,pra essa criaturinha,que vi crescer.
Tão graciosa,amável e delicada.
Flutuava ... em suas apresentações. Parecia não fazer esforços,com sua técnica aperfeiçoada.
Anos de trabalhos exaustivos ...
Tão bela!
Tão doce,Florisbela!
Dói-me a dor de sua mãe,inconformada,dizendo palavras desconexas.
Saio,sem ser percebida.
Desço cada degrau,com pernas pesadas,como minha alma.
Alcanço a calçada, cansada da noite mal dormida.
Tento ter um olhar para esse amanhecer,que me é imposto.
Ajeito o óculos e sigo.

Janice
( Uma Alma Feminina.)
( Do Projeto,Uma Alma Feminina. // Por:Tata Junq.)

Paixão-de-inverno.

                                                 ( Imagem por pesquisa. / Google.)

Posto que queimam,ardem.
Labaredas.
Paixão-de-inverno.
Inferno!

Não há mais lenha.
Nem fogueira.

Assim,

registro do perdido
no
tempo.

Cinzas!
Em urna funerária,
jogadas
em 
mar-de-meus-pensamentos,
por hora
aos
ventos!

Tata Junq

Ode à dor.


                                                  ( Imagem por pesquisa. / Google.)

ODE À DOR.

No espelho a alma aquebrantada,em furores internos.
Ebulição!
Sobem fumaças,que já foram borbulhas.
E carregarão nuvens espessas ...
E choverei,vertente em dores e mágoas.
Assim ferida.
Assim perdida.
Assim holocausto,
expiação.

Verterei ladeira abaixo,
ao lobo da sarjeta.
Que escoem as dores
e
que se percam!

E desamarrem laços.

Tata Junq

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Resmungos na madrugada ... coisas de anciã ...kkkkkkkkkk

                                                  ( Não é foto recente,mas serve ao propósito.)

Já sentiu saudade dum papo?
Conversa?
Um plá?
Pois é ... hoje senti.
Saudade do papo virtual?
Qual nada!
Papo ... poder tocar,rir,olho no olho ... ou chorar.
Sentar num banco de jardim ... no chão...num degrau qualquer ... ou andar,andar,andar ... na grama,na areia da praia,nas águas do mar ... até no asfalto ...
Na estrada-da-vida,hoje quis papear.
Com amigos,estranhos ou com mortos.
Eu falo com gente morta.
É...
Vivos e mortos falam comigo.
Acredite se quiser!
Hoje quis falar com alguém.
E foi uma mudeza geral.

Apenas resgatei saudade,de um tempo que falávamos,rindo,chorando,brigando ...
Logo cedinho,quando olhei pro porta-retrato da família.
Mas julguei que seria uma conversa doída... então,pensei em encostar minha cabeça em seu ombro e emudecer.
Só soprei em sua direção,uma benquerença enorme e o desejo de que ficasse em paz.
Aqui, dou conta ainda,sussurrei.

Mas queria um papo ... sorrir de um sorriso ...
E caminhei só ...de cá e lá,levando água às plantas,num regador.
Nenhum papo,nem com vizinhos.

Inexata ordem de tempo.
Quis ... agora não quero mais.
Agora,é madrugada,todos dormem.
Somente papo,virtual.
Então ...
Boa noite,geral!
Dormir que é melhor.
Fuiiiii ...

Tata Junq

Um tal poço ... e, posso.

                                                ( A foto é mais antiga,mas vale o propósito.)

Há um poço,sem luz,sem água.
Assim acomodado,um tal sentimento.
Admiras este feito?
Penalizo-me dele,quando poderia saciar sede.
Há um balde ao ranger de cordas,que sobe e desce vazio.
Há um poço,que na estranheza,nada guarda.
Nenhum ruido ecoa.
Joguei nele um sorriso,outro,outro ...
E voltei-lhe as costas ... sem lamúrias.

Tata Junq


sábado, 22 de julho de 2017

Do Projeto,Uma Alma Feminina: Quando um sorriso abastece.

                                                       ( Pesquisa por imagem. / Google. )

As alamedas vestiram-se de um colorido primaveril.
Incrível aquele sorriso matreiro.
Minha câmera o alcançou.
Tarde de terça-feira,no parque.
E ...
Aquela garotinha,colorida em sua roupagem e alma.
Nunca vai saber, a que universo,levou-me agora.
É como se o Mundo parasse num instante embriagador,sem dores,sem diferenças ... pleno em alegria.
Eu sorri de seu sorriso.
O Mundo sorriu junto,sem saber.
Sem saber?
Dizem,que o Universo conspira.
Ela e seus patins ... voava em círculos ... cabelos ruivos ao vento.
Que momento mágico!
Quiçá,todas as crianças sorrissem assim ...
Quiçá,todos adultos lutassem por todas elas,dando-lhes,um futuro e um presente seguro e eficaz  ...
Quiçá,possa eu voltar pra casa,em esperanças,também...
Encontrar Suzi sem rebeldias de adolescente,sem preguiças e tomada banho ... já pronta pra ir ao colégio... sem reclamar!
(rsrsrs...)
Mas tenho de ainda terminar a matéria e registros,que fiz hoje,cumprindo um roteiro de trabalho.
Acrescentei no dia,um sorriso ...
(Que não cabe no contexto-trabalho ... cabe nos olhos d'alma,daquela,que ama fotografar ...)
Chave na mão,caminho lentamente para o carro ...
Qual seria o nome dela?
Pra mim,tenho-a como Menina-sorriso e já basta.
Não é mais anônima.
Não mesmo.
E vou tocando o dia,animada ...

Verônica.
( Uma Alma Feminina.)

***Do Projeto, Uma Alma Feminina./ Por:Tata Junq.

A um dependente ... Na proteção dos ANJOS ...

                                                 ( Imagem por pesquisa. / Google.)
Acredito em Anjos!
Acredito em Anjos!
Acredito em Anjos!
Carregaram nas asas você,um ser,que estava tão perdido.
E,não o deixaram ao chão,no abandono.
Protegeram,assopraram ao seu ouvido ...
- Levanta,ainda há tempo no tempo disponível ...
                                               E ... na coragem,decolou com asas emprestadas.
Mais um dependente à caminho da reabilitação.
Confinado nos confins ... sabedor da importância da falta da tal liberdade.
Daí as asas emprestadas.
Encontro de si.
Confronto da dor.
Privar-se para achar-se,limpar-se ... mente e corpo.
Quem disse que é fácil?
Nada fácil!
Curvo-me diante do acaso,agradecida,ajoelhada.
Cure-se!
Encontre-se!
Liberte-se!
Esperance-se!
Ganhe conforto e luz!
Coragens!
Coragens!
Coranges!
Que um fio de esperança,nasça em sua alma,brotando como nascente de um rio!
Que possa sorrir novamente!
Que o amor lhe encontre!
E que ame-se...
Que seu físico aguente toda essa pancada,reincidente!
E,oro a cada dia,a cada noite ... por você que amo e por você que desconheço.

Amém!

Tata Junq

Quando o imperfeito ... Do Projeto, Palavras Ao Vento.

                                          ( Do projeto,Um Olhar Tão Meu / Tata Junq)

Quando o imperfeito,vira perfeito do Indicativo:
- Vinhas.
- Viestes.
Quando o futuro é duvidoso:
- Virás,novamente?

Assim,cada TU em nossas vidas,quando de passagens.

Não há raízes.
Assim o exercício da liberdade: IR,VIR,FICAR,temporariamente,ou,PERMANECER ...cabíveis escolhas!

Não possuímos pessoas,qual sapatos para calçarmos os pés,disponíveis.
Podemos nos dar o luxo,da escolha, no entanto,de quem queremos por companhia.
Mas ninguém é de ninguém.Todos temos vidas próprias.
Bem assim!
Quem ainda não entendeu?
Somente,constato o processo vivencial.
Nada demais.
E nem pretendo "fazer cabeças" ...
Cada um sabe quando e o porquê "se o sapato aperta".
Boa madrugada a todos!
A vida?
Tem estradas.
Tata Junq

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Homenagem,que nem sei se póstuma. E, #musicatudodebom



E assim verte cachoeira,sem prantos.
E assim vertem rios, plácidos.
E assim verte mar,em flor de riso.
Quando resgato seu olhar.
No entanto,sem entre tantos,breve.
Assim,exatamente,exato.
Brilho de encanto.

Tata Junq

* São ou foram,VERDES.

NOS-TAL-GIA

O B- A- BA ... basiquinho da nostalgia :
"Nostalgia é um termo que descreve uma sensação de saudade idealizada, e às vezes irreal, por momentos vividos no passado associada com um desejo ..."
Bah!
Muito relativo.
Cada um a vive à sua maneira e intenção.
NOS-TAL-GIA... rima com dia,com tia,com pia...e o escambal!
(Rima pobre,poética. Identidade sonora,.fonética.)
E rima,palavra,que rima com lima.
( Que não é laranja ...aquela que desgasta.)
rsrs ...
Que tem a ver?
Tudo e nada!
rsrs ...
Pensamentos atropelados na madrugada.
...
Deixando uma música,na nostalgia,que também me atropela,sem neuras,na pegada boa,de um tempo bom.
E isso é possível,viu?!
Tata Junq


segunda-feira, 10 de julho de 2017

Recado musicado. Heheheheeeee ...

E, no pique-esconde,você surgiu do nada.
Silencioso como sombra.
Mudo como cobra peçonhenta.
Vilão?
Espião?
Covarde?
Astuto?
Em meio ao meu romantismo tolo,esperei uma saudação.
Qual nada!
Não há bons dias ou boas noites.
Ignorantemente,ignorada.
"Apois" ... depois ...
Só na observância,sem relevância,que possa merecer:
- Larga do meu pé,chulé!!!!!
E eu sigo cantando ... com Rauzito ...
" ...se o rádio não toca, a música que vc quer ouvir ...só mudar a estação ...só girar o botão..."
KKKKKKKKKKKKK ...
Muito simples!!!!!
Tata Junq


Tata Junq

domingo, 9 de julho de 2017

Fuiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii ... rsrs ...

Gosto de alho na bolacha de chocolate.
Que heresia!
rsrsrs ...
Na madrugada ...
Pra não cair a glicose,assaltei o pote,que armazenei bolachas ...
Caracaaa mulequeeeee!!!!
Tome chá de melissa, pela goela abaixo!
Sem estímulos para poetar ... kkkkkkkkkkkk...
Bora dormir!
Somente curtir um som de saideira ...
Boa nova semana,amigos & amigas!

JUNQ


Sorri do seu sorriso ... e ...



Recriei-o,sorrindo.
Num tempo único.
Ousei colocar a foto,bem visível, na estante.
E,sorri do seu sorriso.
Inigualável sensação do recordar.
Bendita memória,que me cabe ainda.
Bom ter tido um amigo.
E no descanso,que me cabe,sereno.
Tudo o que precisava,agora. Um amigo,que acalentasse minh'alma.

Tata Junq

Do Projeto,Relatos. Minha compaixão é hora,prece.

                                               (Imagem por pesquisa / Google. )

Um céu nublado,sem estrelas,nem Lua aparente.
Um olhar perdido,encontra um mar na obscuridade.
Ouve o marulhar ... os vai e vens das ondas.
Sente o vento,que sopra,causando arrepios.
Noite fria,coração morno e esperanças rasas.
Assim a mulher debruçada na varanda da casa 7.
Assim a deduzo.
Seu rosto é triste.
Nem sei seu nome.
Mas que importa?
Entre muitas,uma mulher.
Sabe-se lá o que pesa em sua alma.
Nem todo mundo é contente.
Seu olhar perdido,compadece-me.
Isto.
Nada a fazer ... minha compaixão é uma prece.

Tata Junq

Então ...em tom de desabafo...



E a dor morde,qual cão arredio.
A ferida,sangra.
E,não há bandagem pra tristeza.
Que sina é essa?
Que consolo há?
Na prece,o apelo.

Tata Junq


sábado, 24 de junho de 2017

Pensamentos ao Vento,qual balão ...Noite de São João.



É dia de Santo,mais um.
São João... sem fogueiras,sem eiras e beiras.
Faço pesquisas,assisto novela,escuto músicas,espio sites ...postagens ...e escrevo.
Bem eu,de tudo um pouco.
Menos pular fogueira ou tomar quentão ... nem pipocas ...nem frio ...nem comilanças de quermesses ...
Ohhhh messeeee!!!!
Penso apenas,que o ano chegou na sua metade,rapidamente,com todos os finalmentes ...
Cada dia,vencido.
Ano tortuoso,difícil.
Somos impotentes ... creio ... diante de muitas realidades,acasos,descasos,que nos acometem,sem 
que não os tenhamos escolhido.
Responsabilidades ... consequências,escolhas ou não ... sempre estamos no meio fio.
Dureza mesmo, são as aceitações.
Mas quem disse,que enfrentamentos são facilitados ou facilitadores?
Ohhhh messe!
Difícil lidar com dores,emocionais e físicas.
E superar as pressões ...
Tão mais confortante era ver balões nos céus ...mesmo sabendo dos perigos.
E eu os vi ...e foram tantos.
Não os vejo mais ...  ainda bem ... belos, que incendeiam e causam danos.
Saudade das fogueiras ... do fogo criptando ... lembram salamandras,mágico!
Saudade das cantorias ... das danças típicas ... das Festas Juninas nas escolas...dos Projetos ...
dos sorrisos ...
Amo o frio ... mas nem esse frio do inverno,enverga-me.
( Estou quentinha,abrigada.)
E,obrigada a tantas coisas.
E cada vez mais convencida,que reagimos às aprendizagens.
( Queiramos ou não.)
Aprendemos,vezes,na marra!
Dia de São João!
Ão!Ão! Ão!
Coração bobão!
Pensamentos ao vento,qual balão sem rumo.
Pingando breu.

Tata Junq

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Histórias da Tata/ Memórias.



Tardes de domingos,Sport Clube Corinthians.
Arquibancada ...
Um homem,uma eletrolinha.
E Johnny Mathis ...
Tardes de domingos ...
Eu nadava ... Luiz ali ficava curtindo o som ...
Vezes eu subia,sentava-me ao seu lado e escutava também.
Na época não entendia aquele apelo sonoro.
Em casa,na escadaria ... Johnny Mathis!
Ele dizia me amar.
Eu não o amava.
Talvez por isso não entendia a importância do romantismo,que o envolvia.
Livrei-me da vitrolinha,do Mathis e do Luiz... com pesar e pena.
Não daria pra levar adiante um namoro,não achava nem justo,nem certo.
Jamais iria ludibriar alguém.
Vezes ficava imaginando todo seu percurso pra chegar em casa ... o quanto demorava e se sacrificava . Não havia essas modernidades todas.
Lembro-me de sua tristeza e insistência para que o namoro fosse adiante.
Acho,que um dia deve ter agradecido pelo dia fatídico.
E torci para que fosse feliz e que encontrasse alguém,merecidamente.
Nunca mais o vi.
Nem soube dele.
Depois de um tempo,descobri que as músicas do Johnny eram divinas.
Não eram mais enfadonhas.
Eram lindas,sensíveis e tocantes.
Escolhi uma delas,para perpetuar aqui.
Eu era uma "criança",ele um pouco mais velho,cabeça de adulto ... Eu? Uma adolescente,sonhadora.
Em minha velhice,ouso lembrar dele, de seus olhos castanhos escuros,que me fitavam com
doçura e paixão.
Coube hoje,um bom motivo de lembrança,sem pesos e chorumelas ...não foi um amor de minha vida e ponto.
E há um alívio n'alma ... como sempre, fui autenticamente atrevida,direta,honesta ... e soube dizer um não!
Boas recordações, no entanto.

Tata Junq

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Momentos. ( Do Projeto, Alma Feminina.)


                                           ( Imagem por pesquisa. / Google.)

Quando o frio,lembra o frio leito e quenturas mornas,aconchegantes dos
corpos em desalinho.
Para estar no peito,um acariciar sereno,feito.
Olhar.
Perguntas.
Reflexões.
Fluir de histórias, minha e tua.
A borracha apagou a linha do tempo.
Não há registro de uma história nossa a seguir.
Não sei de ti.
Não sabes de mim.
Como páginas de um livro,arrancadas,sem saber-se o final.
Afinal,o final,sabe-se!
Não minta-se,jamais.
Um início,sem meio,sem fim.
Redundante.
Não me cabem tristezas,desapontamentos,tudo ficou no meio,em meio.
Não houve deslanchar.
Não nos coube o amar.Não houve abertura para o apaixonar-se.
Sem permissões.
Olhei-te!
Olhou-me!
E foi a última vez.
Lembro-me da cena,do aceno e do "Vá com Deus!"

De zero a dez.
Qual a chance de apaixonar-se?

- 9!
- 10!

Conta errada.
Errata: - 0!

Acovardamo-nos?
Desinteressamo-nos?
.
Sei,que não se sonha só.
Mas vive-se só!
E neste dia de inverno,não há beijo,abraço,calor,nem flor,nem amor partilhado,
nem renegado.
Dia dos Namorados.
Eu aqui,quando não estás.

Se escondes!

Uma Alma Feminina.
Joana

( Do projeto,Uma Alma Feminina. / Por, Tata Junq. )


Prosopoetando : Não!




Não me siga!
Não me liga!
Não me fale,
nada!
Porém,
não me desbote.
Ainda
sou
viva.

Tata Junq

Poetando às avessas:O porquê dos porquês.



Um pretexto,
um protesto,
um apelo,
um erro,
um acerto,
um acervo,
incontestável.

A vida,
gera
e gira.

Não sonho.
Não crio.
Não nego.
Não afirmo.

Sou curva sinuosa,
sem retas
ou
paralelas.

Não desfilo,
destilo
impropérios
aos amargos,
que amargam
outras vidas.

Foda!
Fdp!
Caralho!

Extravagantemente,
deselegante.

Tata Junq

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Pensamentando ... um amigo despediu-se ... hoje,12/06/2017.


A morte serena o corpo.
O,em sofrimento.
Assim sendo,como fica o espírito,que se desliga dele?
Sofre? Liberta-se também?
Perguntas ao leu!
(Como o vento,que sopra minhas condolências e minha dor de perda.)
Muito difícil lidar com a morte,como também com a vida.
Muito difícil o "perder" entes queridos.
E o tempo,senhor-de-si,corre ... e vejo um a um de meus amigos partirem.
Fica a aprendizagem dura,que dura uma eternidade,parece ... e,parece não ter cura.
Hoje mais um amigo se foi ...
Numa madrugada fria,numa UTI.
Sei bem o que é ficar numa ... por três vezes ... em riscos.
Sei o que é ver um ente querido,numa ... também.
E meu amigo foi ... eu sequer pude velar seu corpo,num cerimonial ...
Estou acamada. 
(Com alma dorida demais.)
Domingo,olhei a cadeira vazia de sua varanda e doeu ...
(Pela manhã ... uma sensação de despedida,premunitiva.)
E,lembrei de nossa última conversa.
Um dia qualquer vou também.
Fato.
Nós tínhamos ciência de nossas fragilidades.
Não lhe disse adeus.
Quem sabe,cabe um até quando.
Quem sabe,organizaremos uma grande festa,como as Juninas,que realizávamos ... ou,passeatas nos carros em vitórias de jogos ... na praia,em nossas casas de veraneio,em viagens ... FELIZES ... e serenos,estaremos.
Quero lembrar do seu sorriso de satisfação,ao pilotar o "seu brinquedo",estradeiro que foi...
Que o seu caminho seja sereno,amparado de bons companheiros e que possa ser um tarefeiro ... porque do bem,sou testemunha que foi.
Em que espaço?
Nada sei.
Quero acreditar,que há um.
E que eu chegue também,no meu tempo exato.

Tata Junq

***O dia amanheceu frio...como os junhos partilhados...sem festas,sem vc,amigo-véio-de-guerra.Acolhido seja pelos Anjos!Amor eterno,"Delmo",meu amigo! ***
( Face.)