quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Tentando entender o silêncio alheio.



Vezes o silêncio é necessário.
Vezes,respostas.
Vezes,benéfico.
Vezes,dói.
Nos meus silêncios,vezes grito.
E não há ecos.
Acordo com algumas tristezas,hoje.
E tenho de seguir,descalça d'alma.
Lacrimejo dor.
E no abandono de mim,dúvidas.
Assim acontece,quando não entendemos o silêncio alheio.
Mas VIDA & SERES,possuem ASAS DE LIBERDADE.
Sem julgamentos,mesmo sem entendimentos,sei de mim.
De mim dou conta.
Tento.
Vezes,sou colo de mim.
Tento afagar-me ... distante dos afagos,que queria pra mim.
Chove,cansada dos afazeres,que abracei pra repaginar a casa,a vida.
E se causo mudanças externas,tenho de promover as internas.
Tarefa difícil,entender as pessoas.
(Praticamente,repenso.)
Eu,sou eu.
O outro ser é  o outro... e tento não prejulgar.
( Sem dúvidas,detesto,que me prejulguem.)
E ..."boraaaa", abraçar as tarefas!
A VIDA SEGUE!
Eu?
Persisto.

Tata Junq
Enviar um comentário