domingo, 6 de novembro de 2016

Do Projeto,Alma Feminina : Último café.



                                        ( Imagem por pesquisa / Google )

Cafés,que surgiam,marcando manhãs,algumas tardes.

Manhãs vazias.
Tardes vazias.
De ti.
Reconheço e concebo.
Decisão.
Um pra lá,dois pra cá ...como música.
Assim a vida.
Uns chegam,outros vão.
Eu decidi ir.
Sem cafés... sem cafunés,abraços ... sem idas e vindas,qual dançar..."dois pra lá...dois pra cá" ...
e ter pés marcados,doloridos e bolhudos ...lesados...
Minha ilusão por ti ...escorregou ... naquela noite.
Coloquei o café em abandono na mesa ...depois de sorvidos alguns goles amargos.
Sacudi a mesa ao levantar.
No abandono dos cacos ao chão,pedaços de ti ... hora morto,estavas.
Hoje,prefiro tomar Coca-Cola.
Lamber sorvetes e sorrir à vida.
Ao abrir a porta,sei que vou sair.
Tu?
Não vais entrar!
Deixei de gostar de cafés,bolos e gelatinas,misturados em desculpas.
Vezes recaio,lembrando de tua boca carnuda,chegando até a minha,tomando meu fôlego.
Dos sussurros,dos toques,seus carinhos ...
Fecho ouvidos,a alma e corpo.
E nego ter saudade de ti.
Nego.
Nego.
Nego...
( Por sete vezes.)
Nego e me convenço.

Uma Alma Feminina.

( Do Projeto,Alma Feminina,por Tata Junq.)
Enviar um comentário