quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Permita-me ...
















Permita-me,
somente
saudade.
Assim,
tão triste,
assim
tão
realidade.


Permita-me,
a
esperança,
de
um
querer 
de
verdade.

Permita-me,
Deus,
a
l
i
b
e
r
d
a
d
então,serás chuva em outros quintais.
Eu,brisa nas folhas,que não morrem jamais.

Tata Junq
Enviar um comentário