terça-feira, 2 de agosto de 2016

Assim minh'alma



                                       (Imagem por pesquisa / Google)


Onde o deserto
de
minh'alma?
Onde o oásis,
a saciar minha sede?

Calor abundante,
areias quentes,
ventos e
tempestades,
intermitentes,
e
um caminhar,
desertor e
solitário.

Minh'alma
tem
trilhas,
percorridas
e
marcas perdidas
de
toda uma vida.

Somente ela
me lê,e
eu a ela.
Feliz ou descontente.
Ela sou eu.
Eu sou ela.

Inóspita,
desértica?
Quem a julga?
Quem a vê?
Será sempre uma
incógnita.

Um quebra-cabeças,
faltando uma parte,
deixando
e
s
p
a
ç
o
.
( Assim,alma-de-poeta.)

Tata Junq
Enviar um comentário