sexta-feira, 17 de junho de 2016

Poeta não mente,sente.Sente,porém mente.



Eu sem cor,
sem dor,
sem medo,
carregada de segredos.

Eu sem luvas,
acariciando,
sombras.

Eu sem lupas,
a enxergar
ilusões.

Eu sem ouvidos,
escutando
canções.

Eu sem pés,
dançando,
rabiscando
o
chão.

Eu sem carne,
anjo-espião.

Eu sem lembranças,
presa
em gaiolas,
solidão.

Eu com motivos,
vivendo 
uma paixão.

Tata Junq
Enviar um comentário