terça-feira, 14 de junho de 2016

Poema num tempo novo: DESEJO.


                                                 ( Imagem por pesquisa. / Google.)


DESEJO

Olhos nos olhos,
ternuras. 
E um fogo
em
línguas,
diferentes.
Assim,
momento
sublime,
intenso.
A segurança,
do abraço.
O entrelaço,
laço,
num 
terno
compasso.
Assim,
não 
acabasse.

Tata Junq
Enviar um comentário