terça-feira, 28 de junho de 2016

ETAPAS: Quando, o planejado,algoz. ( In Memoriam)



In Memoriam

E lhe vi.
E não reconheço o que vi.
Entrei no seu olhar e você no meu.
Sua boca buscou a minha,a minha se entregou ...
Roubou meu fôlego,meu sopro.

E as palavras?
Perderam-se.

Foges na covardia.

Abandono.
Indiferença.
Mudez.

Busco razões,sem sequer saber, se as tem.

É como um vulto,que se instalou e se perdeu.
Vezes pergunto se foi real.

Deixou misérias de amor...ou,nem sequer nada deixou.
Um aceno,como a chegada,a saída.

Quem semeia vento,colhe tempestade!
(Já dizia minha avó.)

Eu,devaneio,criei você,criatura.
Quando você é tortura,demônio sem asas!
Que me espreita à noite e me devora.

Eu,cadela no cio!
Em arrepios.
Perdendo-me,perdendo-me...
Perdi-me!

Qual areias secas,escorrem de meus dedos...
Rei morto,rei posto.

Cruel vingança...
Mato-lhe aos bocadinhos,saboreando cada pecado.

E gargalho em arrepios!
E solfejo em notas mortais.

E quebro espelho.
Não me vejo mais.

Se não me vejo,não lhe vejo a matar meus desejos.
Se não me vejo,coração nem bate.
Se não me vejo,
ressuscitarei,qual Lázaro.

Se vivo,matei-lhe.
Planejado.
MORTO & SEPULTADO!

Tata Junq

Enviar um comentário