sexta-feira, 3 de junho de 2016

Do Projeto,Alma Feminina: Abandono.



De qualquer maneira você chegou.
De qualquer maneira você voltou.
De qualquer maneira,você se foi.
Qual pó ao vento.
Fragmentos minúsculos,sem junturas,sem brilhos.
Meu coração de bonito,perdeu encanto.
Redemoinhos de sentimentos.
O chão, recolheu os cacos da vitória,que não vingou,
as palavras enganosas que lançou,
sonhos bonitos idealizados,planos.
Na solidão de agora,só a chuva,lá fora.
Só a dor do amor,que foi meu e não seu.
O tempo pára agora.
Sem passado.
Sem presente.
Sem futuro.
Estanque numa dor dilacerante.
Luto,breu.
Cai a noite.
Caio em mim.
E na pá,enterro tudo.
Sem velas,sem preces,
sem lágrimas agora.
Ao levantar desta cadeira,um novo passo.
Espelho no espelho ... a minha juventude,ainda estampa no meu rosto,esperanças.
Tenho todo o tempo do mundo.
Espero pelo brilho do Sol da manhã.
Uma página em meu diário,encerro agora.
Deito a caneta.
Deito a indignação.
Encerro.
Não morro.
Não se morre de desamor.

Cris
Uma alma feminina.

(Do Projeto,Alma Feminina,por Tata Junq.)
Enviar um comentário