quinta-feira, 16 de junho de 2016

CONFIDÊNCIAS ...pensamentando ...

Resultado de imagem para amar


CONFIDÊNCIAS

Andei descalça,sobre pedras ásperas.
Os pés feriram-se.
As cicatrizes,são resultados de cauterizações doídas e doidas.
A escolha do caminho,no entanto e entretanto,foi minha.
Agora há cansaços.
Meus pés avariados,não dão conta de minha carcaça alquebrada.
A Alma é menina.
O Corpo é velho.
O Espírito,é ancião.
E,somados,resbalam-se,nem sempre,confortavelmente.
Hoje parei, mais uma vez, a refletir.
Minh'alma,menina,trai-me.
Ela sonha,ela quer,ela propõe,vezes no engano.
Amorosa,sofre.
Açoita corpo já desmantelando-se.
Assim é!
Assim somos!
Matéria, que vai se desgastando,pouco a pouco,ou rapidamente.
O espírito teima em habitá-lo.
O perispírito,também.
Mas ainda tenho olhos de menina.
Aprecio flores,o Sol,a chuva,a noite,a Lua,os ventos,as matas,as corredeiras,rios,cachoeiras,mar,o espaço Cósmico,que posso alcançar...
E tenho malas vazias.
Porque quando fizer a travessia,nada vou levar.
Na alma,tatoos de amor.
Eu me permito ser amor.
E, nada ,nem ninguém me fará desistir do amar.
Amar sem medo de amar.
Amar toda e qualquer criatura.
Aprendi o exercício da cura das mágoas,redimindo-me dos meus erros junto à qualquer criatura,nos pedidos de perdões,mesmo em atrasos.
Se a vida é uma eterna-oração-pedinte,peço pra que ainda haja tempo de melhorar-me.
Não quero carregar doenças d'alma.
Vim ao mundo,rebelde,clamando por liberdade,desde o primeiro choro.
Parecia não caber no minúsculo corpo,alvo.
Não sei do trato que fiz para vir ...
(Se é que há um "trato assinado".)
E,prendi-me entre gente...
Laços!
A vida ainda flui ...
Ainda permaneço.
Nada sei do futuro.
Tudo sei do passado.
Vivo a cada segundo e antes tinha pressas. Agora sou cautelosa,num ritmo lento,bebendo e degustando cada instante de oportunidade.
A que vim?
AMAR,mesmo quem não tenha me amado.
E crescer e doar,compartilhar.
SER TRONCO, DE RAIZ FORTE.
(Tendo sido semeada.)
Sou palavras de construção,buscando não emergir,supostas,minhas verdades,
como sendo únicas.
E sobretudo imergir,e buscar o melhor de mim.
A que vim?
AMAR E AMAR E AMAR E SERVIR.
E ter responsabilidade no SEMEAR.
Entendo ter algumas respostas.
Não há medos.
VIDA & MORTE,processos naturais da EVOLUÇÃO.
Quando ainda tão pequena,via-me como enfermeira...e lances na memória ..a cuidar de feridos de guerra.
Acho, que sou uma enfermeira d'almas,fazendo o melhor que posso,ainda neste compasso que
me resta.
E choro e sorrio,agradecida,pela parte que me coube.
E pedinte,peço pela graça de melhorar,ainda em tempo,minha própria alma.
Agradeço ao Cosmo,a um Poder Superior.
E,quando chegar a hora do retorno,estarei pronta,sem relutâncias...
Estarei e estou,pronta.

Tata Junq

Enviar um comentário