domingo, 15 de maio de 2016

Do Projeto,Alma Feminina:Rosas e Cravos. & Vídeo complementar



Quando a vida se vestiu de rosas...e ela de vermelho-sangue na calçada.
Assim Rosa,vivente,flor de Ribeirinha do Norte.
Rosa-rainha!
Que fora,Rosa-princesa.
Que fora,Rosa-menina.
Hoje na calçada,sem vida.
Despencou,como rosa murcha da roseira.
Sem vento.
Envelhecera.
Todas as manhãs,mesmo em dificuldades,fazia sua ronda na cidade.
Hoje não alcançou a escadaria da Igreja.
Rosa morreu.
Sua vida escafedeu!
Olhos semi abertos,grotesca imagem.
Quem vai cuidar deste corpo inútil?
Se só,já era ...
Penso em todas as Rosas-mulheres,sós.
Nos homens-Cravos,também.
Nos envelhecidos e sozinhos.
Destinos.
E ouso depositar,aqui uma ROSA,pra Rosa,pras Rosas,pros Cravos,CRAVOS.
E um pensar de inconformismos com os abandonos.
Lembrei-me de uma canção da infância,nas rodas.
Mas não há alegrias.
Só o corpo abandonado de Rosa.

Uma Alma Feminina.
( Do Projeto,Uma Alma Feminina,por Tata Junq.)



Enviar um comentário