terça-feira, 29 de março de 2016

Eu, RIO.Você,MAR?



iTkKZ8Z2adlyQ7XZcgspjjJdRh7kPyZXemDxKHwu

O curso.
Vai...vai... vai...
Não retorna.
Contorna a serra.
Vira rio.
Vai e desemboca no mar.
Somos assim ... saímos da fonte,nascentes.
E caudalosos nos tornamos,
rastros de limbo,deixamos.
Movemos pedras ou as deixamos para trás.
Jamais seremos águas límpidas porque nos poluímos no percurso.
A cada afluente,deixamos um pouco de nós,porque invadiram-nos.
Rastros,deixamos.
E vamos a um encontro maior e em Pororoca,misturados,
viramos espumas,doces e salgadas.
Quem se dá conta disto?
Eu escolhi ser rio.
Você resolveu ser mar?
Quando no nosso encontro,sem estrondo da Pororoca,sim?
Quero chegar em calmarias,e unirmo-nos qual abraço generoso.
Somos águas,deslizantes ...

Tata Junq
Enviar um comentário