quinta-feira, 24 de março de 2016

Do Projeto,Alma Masculina : Maldita Cigana!Maldito eu!

Resultado de imagem para Pião rodando numa mão masculina
( Imagem por pesquisa / Google.)

Na palma da mão o pião,dos velhos tempos de moleque.
E roda e roda e roda ...
Fieira no chão.
Riscos na mão,profundos.
A linha do tempo.
Num dia,que nem me lembro quando,aquela mulher com ar de mistério veio até mim.
E pediu pra ler minha mão,tocando-a.
Seu olhar era duro,impoluto,como se fosse a dona da verdade,absoluta.
Incomodou-me o atrevimento. Mas a curiosidade falou mais alto.
Estiquei a mão como num ato de bravura,mostrando que não tinha medo.
Maldita hora!
Revelou-me coisas do passado e do futuro.
Falou-me da mulher,que acabaria com o meu sossego.
Que viveria uma paixão incontrolável,e seria abandonado.
Carregaria tal tormento.
(O destino,dizia.Era claro.)
Quando Dulce,naquela manhã,fatídica,falou de seu novo amor e que ia embora ...
perdi rumo,cabeça,controle.
Antes dela abrir a porta,atirei,pra não errar.
Cumpri longa pena.
Voltei à casa,que fora de meus pais,em abandono.
E vasculhei espaços ... sujos.
Ali ficaria.
Fincaria minha alma suja,minhas mãos ainda vibravam sangue.
Paguei caro.
E,quando vi,na caixa de brinquedos,que minha mãe conservou,o pião ...
Ahhhh...sem dúvidas o fiz girar.
Ele fazia vincos,em minha mão,como se aprofundasse as minhas feridas.
E na calha-do-tempo,vi minha dor eclodir.
Maldita Cigana!
Maldito eu!
Bendita,Dulce que virou "Santa" no Céu!
A linha da mão tem começo,meio e fim.
Cheguei ao fim?
Pião foi ao chão e ainda rodopiou,rodopiou ... impedindo meus passos.
Limite.
Dei conta da minha liberdade,perdida pra sempre.

Uma Alma Masculina.
( Orlando Maciel de Alcântara.)

Por Tata Junq // Projeto Alma Masculina.

Enviar um comentário