sábado, 30 de janeiro de 2016

Poetando nos cascos dos silogismos & neologismos



Queria  ...
Quero?
Sei não o que quero.
Incoerente?
Melhor sê-lo.
Na abrangência de mim,
a não solucionática,
da inconformática.
A incoerência
da
observância.
A nudez,
pálida,
das verdades,
vertentes
que
apagam-se.
Querendo o quê?
Um não sei o quê,
pra lá
dos
confins do Mundo,
inconformadacientemente,
da
falta
de
você.

Tata Junq
Enviar um comentário