domingo, 31 de janeiro de 2016

Poetando às avessas: TRAJETÓRIA



TRAJETÓRIA

Qual bola de neve,
embolava-nos
 e
 aumentávamos.
Veio o Sol
 e sem graça,
 derreteu-nos.
No calor excessivo,
evaporamos.
Pluft!
Voltamos ao chão
feito chuva,
escorremos
ladeira
a
b
a
i
x
o
.
.
.
Viramos córrego,
Viramos rio,
Viramos mar.
E
destruídos
fomos,
nos rochedos.
Frágeis!
Incapazes!
(Carregando medos.)

Tata Junq
Enviar um comentário