domingo, 4 de dezembro de 2016

Do Projeto,Uma Alma Feminina: Monólogo Indireto.





- Romantismo é "démodé"??????
- Rapaizzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz!!!!
- Sou brega?!
- Nada "chic"? ...
- Chicongunhante-pegajosa?!
- Pegaaaa naummmm!!!!
- Pega-naum!
- Manu-sem-noção!!!!
- Pega naum!
- Pega naummmm!
- Manu sem noção!
(Abrindo porco à manivela!!!!)
Retorcendo as trivelas ...
- Vou no passo da minhoca.
- Lentamente!
- Melhormente!
- Tá me vendo,indecente?
- E to sendo exigente?
- Segura tua onda,irmão!
- E,nãoooo querooooooo
ser
comovente
e
indevidamente
muito menos,
carimbada
de
indecente!!!!!
- Segura tua onda,irmão!
- Sabe amar,naum?!
- Segura tua onda,irmão!
Assim,o verbo sem sentido,
- Tá ligado?
- sem ser sentido,
sentido.
- Tá ligado?
- Tá ligado,irmão?
- Bate na cara,naum!
Bate na cara,naum!
- Pega leve,irmão!

( Uma voz ecoa.)
Canta?

Tata Junq

Manipulador.

                                                    ( Imagem por pesquisa. / Google.)
(Carapuça,serve?)
Bom seria que não.


Não crio atalhos.
Direto ao assunto.
Tá pensando o quê, cidadão?
Que o Mundo gira em suas mãos?
Audaz!
Pensando ser capaz ...
Monopólio das evidências ... quer ser destaque.
Monopólio dos egoísmos,é tudo vem pra si.
Quer" marieonetar"pessoas?
Dono dos espetáculos!
Feio você!
Alma pequena!

Tata Junq

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Ecoa,ecoa!( Do Projeto,Palavras Ao Vento.)

E... blá,blá,blá,blá,blá,blá ...
Ti,ti,ti,tititi,tititi ...
Você não soube me amar ...
Você não soube me amar ...

Ecoa,na boa,ecoa!
...
Relacionamentos.
Nas descompensações,sempre haverá cobranças de insuficiências.
O outro(a) deve.
Não foi o bastante.
Julgamentos à parte.
Somos humanamente queredores,carentes de atenções,afetos,o bastante para preenchermo-nos.
Quando na verdade o outro(a) não pode exercer a função de coletor da felicidade e fazer depósitos
na alma de ninguém.
Se há pesos e medidas pro amar,tudo vai desandar.
Assim,na riminha pobre:
- Desandar.
- Desandar.
- Desandar.
...

- Quem se atreve A SE AMAR?!

Tata Junq

Sem mais,nem menos,mesmo.



Eu creio.
Eu crio.
Eu desarranjo a lógica,ilógica,dos versos.
Brancos,sem rimas,sem estrofes.
Canto.
Sorrio na vontade do canto,que ficou depositado,
no segmento.
Abraço o tempo,irredutível.
Nem mais,nem menos.
Canção em Ode,pode.
Ecoa.
E vai.
E vou.
Maremolengando,
suave,
amor.
( Em dó maior.)
Nem mais,nem menos.

Tata Junq

Do Projeto,Palavras Ao Vento : Mortes.



 Solidária à dor Chapecoense!
(Orações e energias emanadas.)
Nas tragédias ...mediante mortes...repensamos a vida.
E há tantas pessoas,que a desvalorizam...ou se omitem diante das oportunidades,que são possíveis.
Eu lamento.
E sigo.
E luto.
( Mesmo em lutos.) 
Tata JUNQ

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Pensamentando & Musicando ... Permaneceu ...






Sorriu.
Sorri.
Cantou.
Cantei.
Olhou-me.
(Profundamente,como a interrogar-me.)
Olhei-o com ternura.
( Como se a vida parasse ali,naquela hora.)
E num abraço,depositamos gratidão.
E num abraço,permaneceu a canção-do-momento-em-flor.

Tata Junq

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Veja. Viu? Ver-se.

                                                ( Imagem por pesquisa. / Google. )

Bem assim a vida.
Vai depositar seu barquinho no fundo do poço?
Vai brincar?
Esconder-se?
Espiar?

Deslizando as idéias ...

Surpresa.
Bem no fundo, há luzes de pirilampos.
Vê?
Elas emergem.
 Assim nossos mergulhos d'alma.

Deixamos o barco à deriva ... vezes temos coragem dos mergulhos.
Vezes,só observamos,com receios do mergulho.
Vezes,já percebemos,que belezas emergem.

Pensemos no poço ...fundo,profundo...
Lodoso?
Águas a saciar as sedes?
Luzes escondidas?
Luzes que refletem,espelho?

Sejamos,LUZ contida e reflexiva.
Sejamos água a saciar sedes.
Sejamos paz.
Sejamos nós,profundamente,mas rasos.
Não podemos permanecer em profundezas,em lodos.

Assim sendo ... que brilhem os pirilampos!

Tata Junq

Tentando entender o silêncio alheio.



Vezes o silêncio é necessário.
Vezes,respostas.
Vezes,benéfico.
Vezes,dói.
Nos meus silêncios,vezes grito.
E não há ecos.
Acordo com algumas tristezas,hoje.
E tenho de seguir,descalça d'alma.
Lacrimejo dor.
E no abandono de mim,dúvidas.
Assim acontece,quando não entendemos o silêncio alheio.
Mas VIDA & SERES,possuem ASAS DE LIBERDADE.
Sem julgamentos,mesmo sem entendimentos,sei de mim.
De mim dou conta.
Tento.
Vezes,sou colo de mim.
Tento afagar-me ... distante dos afagos,que queria pra mim.
Chove,cansada dos afazeres,que abracei pra repaginar a casa,a vida.
E se causo mudanças externas,tenho de promover as internas.
Tarefa difícil,entender as pessoas.
(Praticamente,repenso.)
Eu,sou eu.
O outro ser é  o outro... e tento não prejulgar.
( Sem dúvidas,detesto,que me prejulguem.)
E ..."boraaaa", abraçar as tarefas!
A VIDA SEGUE!
Eu?
Persisto.

Tata Junq

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Pressa.

                                      ( Imagem por pesquisa. / Google.)

Atracado.
Barco vazio.
Horizonte possível.
Cadeira vazia.

Um tempo perdido.
Assim a pressa,sem detalhes.

Viver, é muito mais.

Tata Junq

Lesmando.

                                               ( Imagem por pesquisa. / Google. )

Na moleza e malemolência,qual caracol,vou.
Em cansaços.
Em suores largados.
Em misérias despachadas.
Em ebulição.
Assim em  fervilhantes idéias.
Assim,assim,assim:atenta.
E acho encantos.
No entanto,há entre tantos.
Sine qua non: viver.

Tata Junq


sábado, 12 de novembro de 2016

Imagem & #musicatudodebom // Cabem na madrugada romântica ...

                                   ( Imagem por pesquisa. / Google.)

Sério!!!!!

                                                   ( Imagem por pesquisa. / Google.)


Ter amigo bem humorado é garantia até nos intervalos,de alegrias.
Parece,que estão perdidos,sei lá por onde.
Tempos difíceis ... pessoas pesadas.
Sinto falta de todas e quaisquer risadas.
Minh'alma anda lesada.
Meus dentes trancafiam as mandíbulas e causam dor.
Quem pode me oferecer risos?
Desejos urgentes de desenhar minha boca,mostrar dentes e até goela revelar.
E é sério essa história de todo mundo sério.
Sério.
Sério?!

Tata Junq

Ainda pulsa,mesmo assim ...



Do amor,

antiga
chama,
apagada.
Morreu
em
água.

                                                                      Da paixão,

Não há tochas,nem velas,nem gravetos.
( Sem combustão.)
Há sopros dos ventos.

                                                                     Do desamor,
cinzas
espalhadas.

                                                   ...

A praia,
o mar,
o abandono.

Tata Junq

domingo, 6 de novembro de 2016

Do Projeto,Uma Alma Feminina : Carta ao Cacá.

                                          ( Imagem por pesquisa / Google.)
Querido Carlos Alberto
( Souza Aguiar ...o Cacá.)

Lembra do tempo,que sonhávamos juntos?
Tão perfeitamente capazes,fomos.
Ficar lado a lado,pensamentos cruzados,perfeitos.
Brisando juntos.
 A serenidade era constelação,perdida no infinito.
Qual quê!!!!
Mentirosos fomos.
Alienados ...
Cada um com seu existir.
Eu pensava em João.Você,em Cláudia.
E jurávamos,eternidade.
Hipocrisias necessárias,que alicerçavam um castelo na areia,qual o esculpido por algumas crianças,
na praia.
Não sei bem ao certo,se fui eu ou você,a se rebelar.
O castelo ruiu ao chão.
Viramos tempestade.
É,meu caro.
Cansamos de estar juntos,no paralelo.
Hoje sei,que você não ama mais a Cláudia,nem Joana,nem Raquel.
Eu,amarei sempre o João ... sabe aquele do clube,na adolescência?
Pois é... morreu.
Pra mim,amor tem de ser eterno.
(O amor.)
Mas estou junto do nerd do Simon,aquele do matutino,do Colégio Ana Neri.
Você se lembra dele,Carlos?
Joana me deu seu endereço,ela está raivosa com você,viu?!
Mas diz,que te ama.
Quem diria...
Encontrá-la num cruzeiro ...
Disse-me,que a viagem,era pra esquecer você.
Camarada ...você continua dando cordas à mulherada pra se enforcarem!?
Quando terá sossego?
Disse-me ela,que você tem 15 filhos espalhados por aí e que vive na pindaíba,por pagar tantas pensões.
Sabe,eu não tenho filhos.Simon é estéril.
Mas nem ligo.Se os tivesse,não teria a liberdade que possuo.Viajo bastante,enquanto ele queima suas pestanas em seus projetos.
Que posso desejar a você,depois de todos esses anos?
Saúde,né?
Lembra de nossas idas às praias?
Daquela vez que assamos...por descuidos ao Sol? E que ficamos uma semana sem transar,por conta disso?
Bons tempos!
Vou deixar meu endereço.
Venha nos visitar.Atualmente,estou em Santa Catarina....que  conhece tão bem.
Fez um ano que voltei.
Estava em Londres ...  lá permaneci por 9 anos.
Assim que soube de você,por Joana,liguei pro Si e falei de você ... ele já teve ciúmes ...agora não tem mais... a menos que engane bem.
Háháhá!!!!
E Joana ... quem diria?! Casada  com você!
Quer dizer,descasada.
Mais uma!
Tenho saudade da mocidade nossa,dos acertos,dos desacertos de todos nós.
Éramos todos felizes e não dávamos conta disso.
Da turma toda,só o Adilson fez a passagem,neste ano.
A família mora por aqui.Você tem de ver o filho dele.Cara dele,bem humorado como ele.
Dá um jeitinho de vir ...me diz quando pode e eu reúno a turma todinha.
Tempo de estarmos juntos,reabilitarmos nossas esperanças de um Mundo melhor.
Lembra? Dos projetos que delineamos?
Fiéis nas amizades,mesmo se separados fôssemos?
Porque sabíamos,seria inevitável,que acontecesse.
Sabe o "Tratado assinado"?
Rosely tem guardado.
Acredita?
Meu querido,responda-me,sim?
Venha!
Creio,que será um tempo incrível.
Acredito mesmo nisso.
Abraço apertado meu e de Simon.
Estamos felizes por termos notícias suas..

Ana Lúcia Queirós Resende
Sua Lu,encantada.
( rsrsrs ...)

*** Do Projeto,Alma Feminina,por Tata Junq.

Poetando:Toque.

                                         (Lembrete:Direitos autorais,lado esquerdo.)

Toque.
(Se audaz ou doce calmaria.)
Lábios,que invadem a pele.
Assim,
leio
 o leito
 de nós.
Assim,o rio de nós.
(Correndo,fluindo.)
Assim o mar de nós.
(Sacudindo,brumas.)
Assim,a cachoeira de nós.
(Descendo,imperiosa.)
Assim a certeza,
confluência caudalosa.
Somos tudo,
naturalmente,
na sede
de
amar.

Tata Junq

Do Projeto,Alma Feminina : Último café.



                                        ( Imagem por pesquisa / Google )

Cafés,que surgiam,marcando manhãs,algumas tardes.

Manhãs vazias.
Tardes vazias.
De ti.
Reconheço e concebo.
Decisão.
Um pra lá,dois pra cá ...como música.
Assim a vida.
Uns chegam,outros vão.
Eu decidi ir.
Sem cafés... sem cafunés,abraços ... sem idas e vindas,qual dançar..."dois pra lá...dois pra cá" ...
e ter pés marcados,doloridos e bolhudos ...lesados...
Minha ilusão por ti ...escorregou ... naquela noite.
Coloquei o café em abandono na mesa ...depois de sorvidos alguns goles amargos.
Sacudi a mesa ao levantar.
No abandono dos cacos ao chão,pedaços de ti ... hora morto,estavas.
Hoje,prefiro tomar Coca-Cola.
Lamber sorvetes e sorrir à vida.
Ao abrir a porta,sei que vou sair.
Tu?
Não vais entrar!
Deixei de gostar de cafés,bolos e gelatinas,misturados em desculpas.
Vezes recaio,lembrando de tua boca carnuda,chegando até a minha,tomando meu fôlego.
Dos sussurros,dos toques,seus carinhos ...
Fecho ouvidos,a alma e corpo.
E nego ter saudade de ti.
Nego.
Nego.
Nego...
( Por sete vezes.)
Nego e me convenço.

Uma Alma Feminina.

( Do Projeto,Alma Feminina,por Tata Junq.)

Na saudade,ternura que invade. ( Pensamentando brevemente & Musicando & Ilustrando )

                            ( Imagem recebida ...não sei a procedência e autoria ...)

Valsamos de verdade ... e nos volteios,almas também eram levadas.
Seus olhos claros,verdes-mar,penetravam os meus,como imãs.
E,levava-me.
E,levava-me,encantador dançarino.
Encantados momentos.
Suores ... sorrisos ... corações palpitantes.
Gosto do passado.
Eu gosto do gosto.
Saudade.
Saudade!
Saudade!

Tata Junq







quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Do Projeto,Palavras ao Vento ... s/aspas s/? s/... (E o Ponto Final?)

                                            ( Desconheço autoria das palavras e post / Recebi.)

Tarefa difícil?
Pois é! Pois é! Pois é!
JUNQ

Do Projeto,Palavras Ao Vento: Saudade tem hora?

                                                   ( Imagem por pesquisa. / Google.)

Tenho como legado,os ensinamentos de minha mãe.
Tenhamos ações,em vida.Isto não implica,que saudades nos peguem de jeito ...e não só especificamente,hoje.
Amor é ponte! E na linha do tempo,fazemos nossas travessias ... ou,quiçá num futuro,vezes próximo ou distante, façamos a nossa.
Quando falo em travessias,falo no nosso percurso,enquanto vivos.E também menciono,quando deixarmos de ser.
AMOR É PONTE!
Nesta ou noutra dimensão.
Saudade,vezes dói ...mas a vida nos chama.
Eu aprendo a sorrir ...mesmo na saudade ...mais do que chorar ...
Tenham um dia de paz!
JUNQ

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Costurando as Idéias!


Abala.
Na madrugada, a bala.
Azeda, para contrastar alma açucarada.
De goma.
Grude.
Cola.
Pensamento,embola.

Saindo de cena.
Finados.
E,pasme. Não garoa nem chove.

Avião brame no céu,qual tigre no cio e quebra silêncio.
Cachorro da vizinhança late.
Nem sei se incomodado ou se alardeia.
A vizinha tosse.
Acho que tem enfisema.
Nem ligo mais pra ela,pra tosse ou sua voz.
Ligo pra meu pescoço que dói,inclinação errada.Cervical já detonada.
E começa a doer tudo ... pés incham...bunda doe...coluna e discos gritam
hinos retumbantes.

Afffffffffffffffffffffff...cruz em credo!!!!!
Por que é Finados?
Claro que não,né?!
Sem aplausos,por favor!
Fecha-se cortina ...
Já costurei as idéias,em alinhavos.
Amanhã,revejo-os... se soltos ou apertados.

Fuiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii... pra cama.
Dormiiiirrrrrrr....
Nem sei se desejo bom dia ou boa noite.
02:54 ...
02/11/2016

Tata Junq

" Quem procura,acha."


                                       ( Desconheço autoria da foto ... tenho salva em registro...mas não me recordo de quem ... qd puder,nomeio ....)


"Quem procura acha",diz o dito popular.
Acha?
Acha alma "como agulha no palheiro"?
De dito em dito,que bendito sejam, os ditos,qual oração.
Povo esperto.
Acha aí,alma minha!
Vai se espetar ... sou agulha,em ponta-afiada.
Que não se mostra ... mostra?
Posta.
No papel,como réu.
Errando,errada,errata.
Inexata.
Menos,imprudente.
E,mostrando dentes,que mordem bocados da vida.

Tata Junq

Pisca Alerta: Vermelho!




Resultado de imagem para Sinal vermelho


Em verdade,em verdades,digo: - Pare com inverdades!

Sabe ... costumo ser tolerante com as pessoas ... mas lidar com as mentiras,é foda!
E como diz minha mana,no percurso as pessoas surpreendem ...cuidados!
Algumas fidelidades, são voluntárias.
Acredito e aposto na liberdade de escolhas de cada ser.
Mas ... polpe-me!
Não se faça,"personagem".
Entra na cena da vida,de cara lavada e limpa!
Não dá "tom",que enoja!
Depois que acaba o encantamento,não há retornos.
Falo de qualquer relacionar-se.
Então ... hoje só constato e lamento.
Tomara,que a vida não cobre"alto preço"... e que a lição para o "amadurecimento",aconteça
em tempo.
Ninguém perde por ser dignamente,verdadeiro.
Pronto,falei.
Pá de sal!!!!

Tata Junq

Uma voz apenas.


                                           ( Imagem por pesquisa / Google.)
- Ordem no hospício!
- Num quero ser mais louco não!
- Se ranjo os dentes,pensam,que sou cachorro louco.
- Pensa,que sou?
- Desarvorado!
- Bate pau não!
- No meu lombo já carrego cruz.
- Bate não!
- Zebedeu!
- Pensa que sou escravo seu?

(Uma voz apenas.)

Tata Junq

Projeto,Palavras Ao Vento :Escuta.





Projeto: Palavras ao Vento.


Escuta...a música...o vento ... os pássaros ... a alma ...e,acalma o ímpeto,o medo
e todos os receios.

Reprograme-se,pacificado.
( Apenas um conselho.)


Tata Junq

Embaralhando tudoooo ... Reinventar & Embaralhar & Estórias














                                           ( Imagem por pesquisa,Google.)

Brincamos no castelo.
Príncipe,cavaleiro-andante e eu Adormecida,sem ser bela.
Comi maçã,virei sapo,corri pro brejo,encontrei o Gato,que engoliu relógio,que era do Crocodilo,que tinha medo do Peter.
Eu só queria ser fada.
Eu só queria ser fada,sem sapato perder,como Borralheira,ao correr.
Nem ter Madrasta,nem nada.
Pensei até em ser Dulcinéia ...que pretensão a minha ...
Mas no fundo,queria ser fada,fadada a fazer mágicas.
Mas escondi-me do duende mal.
Deitei em flor.
Brilhei em pó reluzente e virei estrela-cadente.
Você,príncipe encanado,desencantado,nem me notou.Deixou de ser Quixote,
quis ser Super-Herói,e virou Homem Aranha,fiando sua teia,envolvido,envolvendo.
Caí no rio,virei Janaína e canto pro espelho,sabendo da beleza, que se perdeu de mim.
E este é o fim da estória?
Embaralhando tudo ...e sem ser reto, o LAMENTO.

Tata Junq


No jogo do amar.




O poeta roubou meu beijo,
tomou minhas palavras,
engoliu meus sonhos.

A terra beijou mar.
Entre pó e sal,
só restou
o
desejo
de
amar.

Se me há brevidades. ( Projeto:Uma Alma Feminina.)



Se me há brevidades.

Teu olhar sorriu pro meu.
Assim,manhã invernal.
E no abraço,
o encontro.
O beijo contido,doce.

Ahhhh ... o teu olhar!
Como esquecer?

A catraca.
O passe,
o chegar.

A catraca,
que o levou,
permitindo o voltar.
Essa não vi.
Você foi,
pra não mais voltar.

( Uma Alma Feminina.)
Por: Tata Junq
26/10/2016

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Fotografando & Prosopoetando : Além.

Do Projeto,Um Olhar Tão Meu.
(Tata Junq)


Além da grade,o céu bordado de Lua.
Eclipticamente,coerente.
Atrás da grade,meu olhar perdido,agudo.
E a ALMA voou como passarinho em busca de ninho.
Hora de retirada?
Que nada!
Qual nada!
Por nada!
Voou ...estrelou no céu.
Viu?
Claro que não ...
Tão distante foi ...
Tão distante,sem alcance.
Escondida até de mim.
De mim...
De ti.

Tata Junq

#musicatudodebom Só recordando ...nada intencional ...kkkk




* E,é sério!
rsrsrsrsrsr ...
JUNQ

Do Projeto,Palavras ao Vento : "Se liga,Mané!"

Quer saber do que mais?
Linguão a vc,que é discriminador!
Ridícula postura!
Ninguém nesta vida é melhor ou pior ... É simplesmente,com liberdade de ser.
"SE LIGA,MANÉ!!!!!"

Tata Junq

Manhã ...



Na borra do café,no fundo do coador,um quê de doçura e amor.
Depositado,passado.
Qual goles solvidos,foi também seu sorriso.
Nas miragens das saudades,até aroma registrou.
Desenhei sua boca calada,tão morta.
E meus dedos frios,brindaram em xícaras vazias,
um :- até um dia!

Tata Junq

domingo, 2 de outubro de 2016

Pensamentando & Ilustrando Idéia. LAÇOS & NÓS & TODOS NÓS & EU.


LAÇOS & NÓS & TODOS NÓS & EU .



( Pesquisa por imagem / Google )

**********************************************



E quantos noturnos chãos percorri.
Já há cantos de pássaros ... eu tomo café bem quente ...e,amorno meus laços.
Crio-os,por quê?
Porque permito.
Há verdades pra todos nós.
Laços afetivos permeiam nossos caminhos,a cada encontro.
Basta pensar,que estando nos formando num ventre e ao nascermos,este vínculo já se estabeleceu.
O laço umbilical é físico,orgânico. E,o laço emocional,é convívio d'alma.
E o moral,por tomadas de atitudes,conceitos.
Permitimos laços.
Mas não podemos permitir amarrios e nós.
Não podemos cercear a liberdade do(a) outro(a).
E também é prudente,que não nos enlacemos,dependentes uns dos outros.
Faço o exercício de AMORNAR OS LAÇOS... para que não queimem minhas mãos,nas rédeas que me cabem,no destino,que me permito. E que os meus,não amarrem os pés de quem me é caro,querido,estimado.
E quantos noturnos chãos ,já percorri ...
Uma vida toda ... muita vez, tentando desatar nós,laços.
E que processo doído é.
Há laços suaves?
Há nós,que não marquem?
Eu queria agora,somente ter laços nos cabelos,ar de menina que sonha acordada,e sem
temor de ter um coração a ser magoado.
Dizem-nos,que há laços,que são eternos.
Eu acredito,tenho alguns.
E quantos noturnos chãos já percorri ... e quantos amanheceres vivenciei...
Laço-de-fita,colorido,é a vida.
Serpenteia no ar,na mão de uma ginasta,num solo qualquer.
Rodopia!Encanta!
E me enlaço,no laço,em laços.
(Em vida.)
Quiçá,assim,na morte.
Quantos noturnos chãos ...
Quão LUZ,um dia!

Tata Junq



****************************..................*****************




quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Então ...





Há um oásis, no peito hostil e desértico.
Em cântaros colhidos,água.
Ventos prudentes.
Meu momento.

Tata Junq

Reestranho-me.




E a voz interna diz:
- Ih?

Que tempo é esse que atravesso?
Analiso aqui,ali,acolá ...

E reestranho-me.
...
E reestranho-me mais uma vez.
...

Coração sem balanços,sem vibrações.
E olhar cala-se na indiferença.
Tudo passa.
Como a Primavera passará.
Houve um Outono em mim.
E,escuto a canção ...
Estranha.
Nas entrelinhas das entranhas.

Tata Junq

domingo, 25 de setembro de 2016

Pensamentando ... NUDE

                            ( Réplica de um post no Facebook ...)

                                      ( Imagem por pesquisa / Google.)



A falta de roupas nos primórdios,consideradas dentro de uma normalidade,tomou outros rumos na decorrência da evolução social e suas necessidades ...não por moralismos.
Vivências ... necessidades de sobrevivências ...depois com o tempo,modismos e adequações,consumismos.. e vezes moralismos.
Penso na nudez.
Fotográfica? Pinturas? Artes.
Tudo concebível.
( Creio ... sem censuras.)
Falemos hoje da NUDE.
É ...o termo é modismo!
E o corpo fala mais,que boca articulada.
Beleza,estética,não-beleza,falta de adequações,padrões ...
E as pessoas precisam"apresentar seus passaportes"...
O quero saber de você,como é,literalmente.
Ver você.
O aceitar ou o interessar ..."caminham",desde a primeira aprovação.
Parece-me,que esse valor material,dispensa a essência das pessoas.
E não estou querendo ser moralista,não!
Parece, que a essência, perde-se a cada dia.
Se apresentável,está em evidência,de boa.
Se dá tesão,melhor ainda.
E,só?
Que tão pouco!
Deixemos bem claro ... há necessidade de entrosamentos de corpos ...natural,que hajam!
Mas corpos aprovados?
Em que estado?
Que tipo de medição?
Que tipo de adequação?
E,lembro-me do conceituar, " As feias,que me perdoem".
Feio & Bonito.
Que é bonito?
Que é feio?
Qual a base do conceituar?
NUDE.
Que o NUDE faça BABAR!!!
MAS ...
Que a ALMA,alimente outra alma.
Ou melhor,que ao se DESPIR,possa  causar belezas,não estranhezas ou ser ignorada.
E não defendo a causa,por ter um corpo gasto e inadequado,baseado nos padrões estéticos,vigentes.
ALMA,senhores,despem-se,vezes com delicadezas,com timidez,vezes ousadamente,sutilmente ... que importa? 
Vezes deitam-se em papéis,como nas camas,e transformam momentos,em magias.
Que se somem as "NUDEZAS"!!!!
Melhormente,que as pessoas sejam aceitas sem muitas "frescurites","exigentites",..
Que o ENTORNO, não precise aplaudir e aceitar.
Que se aceite,de boa,o parceiro e parceira,sem melindres.
Que reine,singelezas!
Autenticidades.
Que haja plenitude,numa cama,de corpos e almas!
Que haja plenitude num companheirismo!
Que haja BELEZA RARA,em CADA MOSTRA SINGULAR,DE UM SER HUMANO.
Sem neuras,sem peneiras,sem convenções,padrões,exibições...sem "cortes".
Recado dado.
Aprovado?
Não me importo,se não.
Meu racional e emotivo deslizam "num suposto papel",virtual.
Ahhhh...em tempo,não me envergonho de ser poeta,e não ser musa de capas de revistas ...
Hehehe ...eu tinha de fazer uma "graça" também.
Humor faz parte.
E é um NUDE interessante,também.
Né,meu bem?!
rsrsrsrsrsrs ...
Tata Junq


domingo, 18 de setembro de 2016

Pensamentando & Musicando : Chove ... e daí?!

E hoje chove.
Nem primeiros erros,nem velhos.
Meu caminho é a cada manhã,incógnito.
Como na música?
Chove.
E não quero ser vaso fúnebre,passado.
E quero surpresas,e não ter de surpreender.
Chega de ver passado e erros.
Quero poder acertar e errar agora,em boa hora.
E chove,literalmente.
Setembro.

Tata Junq

**************************

#assimasas



                                            












(Imagem por pesquisa / Google )

Quando flor,também espinhos.
Quando dor,lágrimas.
Quando água,queda,cachoeira.
Quando escuridão,falsos passos.  .
Quando canções,o tempo.
Quando o tempo,saudade.
Quando saudade,falta.
Quando falta,vaga lembrança.
Quando montanha ...
E eco que diz: passaaa...assaaaa...assaaaa...aaaaaaaaaaaaaaaaa...!!!!!
E no fundo do vale,alma cria asas ...
E,vooaaaaaaaaaa....!!!!

Tata Junq

Poetando & Musicando: A ...





Fui flor colhida,
por tuas mãos.

Em que vaso, depositaste-me?

Sequei?
Enveredei aos ares,
na luz do tempo,
vento?

Fui linda,
plena.

Lembra-me a saudade,
e o amor?

Invade-me.

Tata Junq



Na Urgência.

                                         (Imagem por pesquisa / Google )

Precisa-se com urgência de um Anjo,sem asas quebradas!!!!
Pra chegar rapidinho,na primeira chamada.
Ajudar-me a levantar poeira nesta nova estrada.
Sem palavras pra ter-se siso.
Deixar-me perder juízo.

Tata Junq

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Houve um tempo ...







 ( Imagem por pesquisa / Google.)

















Houve um tempo,
que a vida gritou:

- Espera!


Houve um tempo,
que até vento
parou.

E a flor,

murchou,
a terra secou.

E na grandeza,

do
Universo,
choveu.

E voltaram os ventos

e o grão de areia,
junto a tantos,
solidificou,
formando
rochedos.

E vi,minh'alma,

ali marcada
rupestre
em cor.

Dádivas,de amor!


Tata Junq

Do Projeto,Alma Feminina: Corro pro chuveiro.

                                               ( Imagem por pesquisa / Google )

Frente ao mar,tênue lembrança.
Sento-me no pequeno barco de pescador.
Sacode um pouco,quando as ondas surgem mais agitadas.
Penso na fragilidade,que foi o amor.
Penso nas conchas em água,como segredos de abandono de nossos olhares.
Por quê, perdidos ficaram?
Em suavidades,acaricio as águas salgadas,na saudade de um doce sorriso.
E percebo o canto das sereias,que me chamam.
Encantadas,querem me levar.
Eu grito: - Netunooooo-Rei!
- Por qual razão insisto?
E os porquês,enroscam-se,marolando.
Netuno,sequer sabe,que existo.
E as sereias,querem-me levar.
Eu resisto às ilusões.
Nem sei se resistiria ao seu olhar de encontro ao meu,como naquela tarde ...nem sua boca,
depositando-se na minha. Nem o aconchego de seus braços.
Há mormaço,agora.
Mas o que queimam,são lembranças.
Volto a andar pela orla,pisando as areias finas e brancas,quentes.
O chapéu,quer voar ... Poderia sentir, até os clicks de seu fotografar.
Sequer consegui fazer minha leitura também.
Volto à varanda,deito na espreguiçadeira ...e perco meu olhar no céu azul,nas nuvens de algodão,numa paz,que abriga meu coração.
Pedro vai chegar ... Partilharemos sorrisos,carícias ... um bom almoço ...
E eu,ainda insistindo,em lhe reviver ... 
As sereias cantam,ainda,as lembranças de você ...
Eu resisto.
Mas meus olhos marejam,lágrimas de sal,qual mar e mergulho neste sentimento profundo ...
E, grito: - Por Netunoooo...banhe e lave minh'alma!!!
 ... e corro pro chuveiro.
Pedro vai chegar.
Não posso,nem devo lhe amar.

(Uma Alma Feminina)

* Do Projeto,Alma Feminina,por Tata Junq

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Musicando & Ilustrando : TARDEI.(RODRIGO AMARANTE)





Lindamente sensível,belo!
JUNQ

Do Projeto,Crônica de Mais um Dia ...Conjecturas ...de um "bolo".



Explorei o chão,asfalto.
Explorei o céu,pipas coloridos,tempo de ventos.
Explorei o lado,buscando sentidos.
No corredor,pessoas em fluxo.
E na escada que rola,único degrau,ocupei.
Em olhar desmedido lhe procurei.
Fim de linha,não o encontrei..
Pausa pra um café,sem diálogos... somente o olhar da criança,pregado em seu brinquedo.
Nem ele ousou-me encontrar..
A mãe curvada em seu celular,sequer viu-me também.
Todos pareciam alheios,inclusive o marido ao lado.
Mais adiante,um homem que transpirava impaciência,frente a uma loja de artigos femininos,
caminhando de lado a outro.Deduzo que espera sua mulher,amante,filha ... sei lá quem .Mas
na certa,uma presença feminina ... ou,não?
Resmunga feito velho ranzinza,coisas inaudíveis,incompreensíveis,na verdade.
Fico na dúvida.é um surtado,fora "da casinha"?
Háháhá ...
E na procura de meu bem,que não chega,meus olhos dançam de lá e cá.
Ufa! Felizmente,vejo jovens namorados,em deliciosos abraços e beijinhos.
Que inveja branda e branca!
Que idade notável e salutar,a mocidade.
Quero acreditar que sim.Que a garota conheça a pílula do dia seguinte,ele a camisinha ...porque a química é forte.
Viraram para o corredor,que os leva aos elevadores.
Creio,que o aperta aqui e deslisa ali,rolará em um,se vazio.
E imagino também o que terão a contar no futuro,o rala-e-rola e festival de desejos.
Que vida colorida!
Na sequência,uma senhorinha caminhando em dificuldades,mas muito bem amparada,deve ser sua filha e há no rosto o estampar do prazer de conduzi-la.
Que vida colorida!
Vai-vem na escada rolante. São jovens,adultos,crianças,muito bem arrumados,bonitos,prosadores,risadores,distraídos,atentos,concentrados ...
Que vida colorida!
Meu bem,não vem.
Meu bem,vem?!
Não veio.
Quis ousar sorrir,colorido também ...
Então,compensarei ... 
Consumista,vou experimentar muitas botas,sapatos,sandálias ... e não sairei de mãos vazias ...  e, de quebra,uma bela bolsa.
O cartão de créditos,sorri pra mim e eu ,pra ele.
Sorvo meu outro café extra-forte,olho mais uma vez pros lados.
Caminho lentamente ...
Não comi bolo,"levei bolo"!
Sequer me ligou.
Coração aperta,garganta seca,mãos suam.
Lá está!
A bolsa de meus sonhos!
Esqueço a que vim,entro na loja e recebo o sorriso do vendedor,que vai defender o seu dia.
Ponho uma sandália bem alta,pra compensar o chão que piso,que parece me engolir.
Fico alta,destemida e me iludo mais uma vez com a vida.
Que vida colorida,penso.
Pincéis e tintas,por favor!
Preciso colorir meu dissabor.
Ainda,falta-me sapato lindo e um amor.
Ainda tenho na boca o sabor café ...
Agora,um drops de hortelã,sim?!

Tata Junq

terça-feira, 13 de setembro de 2016

SOBRE OS ELEMENTAIS ...

Elementais ...                              ( Imagem por pesquisa / Google )
Acreditam neles?
Amo os esquisitos.
Tata Junq

*****************************
PESQUISA

SERES ELEMENTAIS OU ELEMENTARES OU ESPÍRITOS DA NATUREZA

A existência dos elementais, segundo os antigos anciãos e sábios do passado, explicava a dinâmica do universo. Como seres reais, eram responsabilizados pelas mudanças climáticas e correntes marítimas, pela precipitação da chuva ou pelo fato de haver fogo, entre muitos outros fenômenos da natureza. Apesar de ser uma explicação mitológica, própria da maneira pela qual se estruturava o conhecimento na época, eles não estavam enganados. Tanto assim que, apesar de a investigação científica não haver diagnosticado a existência concreta desses seres através de seus métodos, as explicações dadas a tais fenômenos não excluem a ação dos elementais. Pelo contrário.

Os sábios da Antiguidade acreditavam que o mundo era formado por quatro elementos básicos: terra, água, ar e fogo. Não obstante, com o transcorrer do tempo, a ciência viesse a contribuir com maiores informações a respeito da constituição da matéria, não tornou o conhecimento antigo obsoleto. A medicina milenar da China, por exemplo, que já começa a ser endossada pelas pesquisas científicas atuais, igualmente identifica os quatro elementos. Sob o ponto de vista da magia, os quatro elementos ainda permanecem, sem entrar em conflito com as explicações científicas modernas. Os magistas e ocultistas estabeleceram uma classificação dos elementais sob o ponto de vista desses elementos, considerando-os como forças da natureza ou tipos de energia.

Então os elementais não possuem consciência de si mesmos? São apenas energia? Não. Os seres elementais, irmãos nossos na criação divina, têm uma espécie de consciência instintiva. Podemos dizer que sua consciência está em elaboração. Apesar disso, eles se agrupam em famílias, assim como os elementos de uma tabela periódica.

Os elementais são entidades espirituais relacionadas com os elementos da natureza. Lá, em meio aos elementos, desempenham tarefas muito importantes. Na verdade, não seria exagero dizer inclusive que são essenciais à totalidade da vida no mundo. Através dos elementais e de sua ação direta nos elementos é que chegam às mãos do homem as ervas, flores e frutos, bem como o oxigênio, a água e tudo o mais que a ciência denomina como sendo forças ou produtos naturais. Na natureza, esses seres se agrupam segundo suas afinidades.

Seriam então esses agrupamentos aquilo que se chama de família? Isso mesmo! Essas famílias elementais, como as denominamos, estão profundamente ligadas a este ou aquele elemento: fogo, terra, água e ar, conforme a especialidade, a natureza e a procedência de cada uma delas.

Os elementais já estiveram encarnados na Terra ou em outros mundos? Encarnações humanas, ainda não. Eles procedem de uma larga experiência evolutiva nos chamados reinos inferiores e, como princípios inteligentes, estão a caminho de uma humanização no futuro, que somente Deus conhece. Hoje, eles desempenham um papel muito importante junto à natureza como um todo, inclusive auxiliando os encarnados nas reuniões mediúnicas e os desencarnados sob cuja ordem servem.

Como podem auxiliar em reuniões mediúnicas? Como expliquei, podem-se classificar as famílias dos elementais de acordo com os respectivos elementos. Junto ao ar, por exemplo, temos a atuação dos silfos ou das sílfides, que se apresentam em estatura pequena, dotados de intensa percepção psíquica. Eles diferem de outros espíritos da natureza por não se apresentarem sempre com a mesma forma definida, permanente. São constituídos de uma substância etérea, absorvida dos elementos da atmosfera terrestre. Muitas vezes apresentam-se como sendo feitos de luz e lembram pirilampos ou raios. Também conseguem se manifestar, em conjunto, com um aspecto que remete aos efeitos da aurora boreal ou do arco-íris.

Disso se depreende, então, que os silfos são os mais evoluídos entre todas as famílias de elementais? Eu diria apenas que os silfos são, entre todos os elementais, os que mais se assemelham às concepções que os homens geralmente fazem a respeito de anjos ou fadas. Correspondem às forças criadoras do ar, que são uma fonte de energia vital poderosa.

Então eles vivem unicamente na atmosfera? Nem todos. Muitos elementais da família dos silfos possuem uma inteligência avançada e, devido ao grau de sua consciência, oferecem sua contribuição para criar as correntes atmosféricas, tão preciosas para a vida na Terra. Especializaram-se na purificação do ar terrestre e coordenam agrupamentos inteiros de outros elementais. Quanto à sua contribuição nos trabalhos práticos da mediunidade, pode-se ressaltar que os silfos auxiliam na criação e manutenção de formas-pensamento, bem como na estruturação de imagens mentais. Nos trabalhos de ectoplasmia, são auxiliares diretos, quando há a necessidade de reeducação de espíritos endurecidos.

E os outros elementais? Duas classes de elementais que merecem atenção são as ondinas e as ninfas, ambas relacionadas ao elemento água. Geralmente são entidades que desenvolvem um sentimento de amor muito intenso. Vivem no mar, nos lagos e lagoas, nos rios e cachoeiras e, na umbanda, são associadas ao orixá Oxum. As ondinas estão ligadas mais especificamente aos riachos, às fontes e nascentes, bem como ao orvalho, que se manifesta próximo a esses locais. Não podemos deixar de mencionar também sua relação com a chuva, pois trabalham de maneira mais intensa com a água doce. As ninfas, elementais que se parecem com as ondinas, apresentam-se com a forma espiritual envolvida numa aura azul e irradiam intensa luminosidade.

Sendo assim, qual é a diferença entre as ondinas e as ninfas, já que ambas são elementais das águas? A diferença básica entre elas é suavidade e a doçura das ninfas, que voam sobre as águas, deslizando harmoniosamente, como se estivessem desempenhando uma coreografia aquática. Para completar, temos ainda as sereias, personagens mitológicos que ilustraram por séculos as histórias dos marinheiros. Na realidade, sereias e tritões são elementais ligados diretamente às profundezas das águas salgadas. Possuem conotação feminina e masculina, respectivamente. Nas atividades mediúnicas, são utilizados para a limpeza de ambientes, da aura das pessoas e de regiões astrais poluídas por espíritos do mal.

Você pensou que tudo isso não passasse de lenda. Mas devo lhe afirmar que, em sua grande maioria, as lendas e histórias consideradas como folclore apenas encobrem uma realidade do mundo astral, com maior ou menor grau de fidelidade. É que os homens ainda não estão preparados para conhecer ou confrontar determinadas questões.

E as fadas? Bem, podemos dizer que as fadas sejam seres de transição entre os elementos terra e ar. Note-se que, embora tenham como função cuidar das flores e dos frutos, ligados à terra, elas se apresentam com asas. Pequenas e ágeis, irradiam luz branca e, em virtude de sua extrema delicadeza, realizam tarefas minuciosas junto à natureza. Seu trabalho também compreende a interferência direta na cor e nos matizes de tudo quanto existe no planeta Terra. Como tarefa espiritual, adoram auxiliar na limpeza de ambientes de instituições religiosas, templos e casas espíritas. Especializaram-se em emitir determinada substância capaz de manter por tempo indeterminado as formas mentais de ordem superior. Do mesmo modo, auxiliam os espíritos superiores na elaboração de ambientes extra-físicos com aparências belas e paradisíacas. E, ainda, quando espíritos perversos são resgatados de seus antros e bases sombrias, são as fadas, sob a supervisão de seres mais elevados, que auxiliam na reconstrução desses ambientes. Transmutam a matéria astral impregnada de fluidos tóxicos e daninhos em castelos de luz e esplendor.

Temos ainda as salamandras, que são elementais associados ao fogo. Vivem ligados àquilo que os ocultistas denominaram éter e que os espíritas conhecem como fluido cósmico universal. Sem a ação das salamandras o fogo material definitivamente não existiria. Como o fogo foi, entre os quatro elementos, o primeiro manipulado livremente pelo homem, e é parte de sua história desde o início da escalada evolutiva, as salamandras acompanham o progresso humano há eras. Devido a essa relação mais íntima e antiga com o reino hominal, esses elementais adquiriram o poder de desencadear ou transformar emoções, isto é, podem absorvê-las ou inspirá-las. São hábeis ao desenvolver emoções muito semelhantes às humanas e, em virtude de sua ligação estreita com o elemento fogo, possuem a capacidade de bloquear vibrações negativas, possibilitando que o homem usufrua de um clima psíquico mais tranqüilo.

Nas tarefas mediúnicas e em contato com o comando mental de médiuns experientes, as salamandras são potentes transmutadores e condensadores de energia. Auxiliam sobremaneira na queima de objetos e criações mentais originadas ou associadas à magia negra. Os espíritos superiores as utilizam tanto para a limpeza quanto para a destruição de bases e laboratórios das trevas. Habitados por inteligências do mal, são locais-chave em processos obsessivos complexos, onde, entre diversas coisas, são forjados aparelhos parasitas e outros artefatos. Objetos que, do mesmo modo, são destruídos graças à atuação das salamandras.

E os duendes e gnomos? Também existem ou são obras da imaginação popular? Sem dúvida que existem! Os duendes e gnomos são elementais ligados às florestas e, muitos deles, a lugares desertos. Possuem forma anã, que lembra o aspecto humano. Gostam de transitar pelas matas e bosques, dando sinais de sua presença através de cobras e aves, como o melro, a graúna e também o chamado pai-do-mato. Excelentes colaboradores nas reuniões de tratamento espiritual, são eles que trazem os elementos extraídos das plantas, o chamado bioplasma. Auxiliam assim os espíritos superiores com elementos curativos, de fundamental importância em reuniões de ectoplasmia e de fluidificação das águas.

Temos ainda os elementais que se relacionam à terra, os quais chamamos de avissais. Geralmente estão associados a rochas, cavernas subterrâneas e, vez ou outra, vêm à superfície. Atuam como transformadores, convertendo elementos materiais em energia. Também são preciosos coadjuvantes no trabalho dos bons espíritos, notadamente quando há a necessidade de criar roupas e indumentárias para espíritos materializados. Como estão ligados à terra, trazem uma cota de energia primária essencial para a re-constituição da aparência perispiritual de entidades materializadas, inclusive quando perderam a forma humana ou sentem-se com os membros e órgãos dilacerados.

Não podia imaginar que esses seres tivessem uma ação tão ampla e intensa.

Os elementais são seres que ainda não passaram pela fase de humanidade. Oriundos dos reinos inferiores da natureza e mais especificamente do reino animal, ainda não ingressaram na espécie humana. Por essa razão trazem um conteúdo instintivo e primário muito intenso. Para eles, o homem é um deus. É habitual, e até natural, que obedeçam ao ser humano e, nesse processo, ligam-se â ele intensamente. Portanto, meu filho, todo médium é responsável pelo bom ou mau uso que faz dessas potências e seres da natureza.

Ondinas, sereias, gnomos e fadas são apenas denominações de um vocabulário humano, que tão-somente disfarçam a verdadeira face da natureza extrafísica, bem mais ampla que as percepções ordinárias dos simples mortais. Em meio à vida física, às experiências cotidianas do ser humano, enxameiam seres vivos, atuantes e conscientes. O universo todo está repleto de vida, e todos os seres colaboram para o equilíbrio do mundo. A surpresa com a revelação dessa realidade apenas exprime nossa profunda ignorância quanto aos "mistérios" da criação.
http://www.luzdaserra.com.br/seres-elementais-ou-elementares-ou-espiritos-da-natureza
As questões relativas aos seres elementais levantam, ainda, novo questionamento. Os elementais — sejam gnomos, duendes, salamandras ou quaisquer outros — são seres que advêm de um longo processo evolutivo e que estagiaram no reino animal em sua fase imediatamente anterior de desenvolvimento. Portanto, devem ter uma espécie de consciência fragmentária. Onde e em que momento está o elo de ligação desses seres com a humanidade? Quer dizer, em que etapa da cadeia cósmica de evolução esses seres se humanizarão e passarão a ser espíritos, dotados de razão? Até hoje os cientistas da Terra procuram o chamado "elo perdido". Estão atrás de provas concretas, materiais da união entre o animal e o ser humano e buscam localizar o exato momento em que isso teria ocorrido. Em vão. Os espíritos da natureza, seres que concluíram seu processo evolutivo nos reinos inferiores à espécie humana, vivem na fase de transição que denominamos elemental. Entretanto, o processo de humanização, ou, mais precisamente, o instante sideral em que adquirem a luz da razão e passam a ser espíritos humanos, apenas o Cristo conhece. Jesus, como representante máximo do Pai no âmbito do planeta Terra, é o único que possui a ciência e o poder de conceder a esses seres a luz da razão. E isso não se passa na Terra, mas em mundos especiais, preparados para esse tipo de transição. Quando soar a hora certa no calendário da eternidade, esses seres serão conduzidos aos mundos de transição, adormecidos e, sob a interferência direta do Cristo, acordarão em sua presença, possuidores da chama eterna da razão. A partir de então, encaminhados aos mundos primitivos, vivenciarão suas primeiras encarnações junto às humanidades desses orbes. Esse é o motivo que ocasiona o fracasso da busca dos cientistas: procuram, na Terra, o elo de ligação, o elo perdido entre o mundo animal e o humano. Não o encontrarão jamais. As evidências não estão no planeta Terra, mas pertencem exclusivamente ao plano cósmico, administrado pelo Cristo.
O plano da criação é verdadeiramente grandioso, e a compreensão desses aspectos desperta em nós uma reverencia profunda ao autor da vida.

Fonte: http://www.espiritismoparatodos.com/2008/01/seres-elementais-ou-elementares-ou.html