quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Do Projeto,Uma Alma Feminina. O Fim.

                                               (Imagem por pesquisa,Google.)

Sua boca aproximou-se da minha.
Seu corpo,tremeu.
E em catarradas-desconexas-ferozes,cuspiu em minha alma.
A boca não beijou ardente,nem suave.
Tornou-se um homem amargo.
Augusto tinha olhos de brilho,de raiva.
Largando meu braço,que apertava,afastou-se.
Lançou um olhar de misérias e saiu batendo a porta.
Era o fim.
E minha liberdade.
 ( Uma Alma Feminina.)

Tata Junq
Enviar um comentário