sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Pensamentando,assim,assim.






As raízes de mim,são aéreas ... e deram nós.
Não querem mais expandir.
Envelhecem ao sabor dos ventos,resistentes.
Chovem com as chuvas.
Esquentam ao sabor do Sol.
Esfriam na noite enluarada.
E escondem-se aos olhos,que não as alcançam.
Nascidas na terra,alcançam o céu.
Ceivas.
Atentas a serem perenes.
São partes inversas,como de pontas-cabeças.
Contrárias,contraditórias.
Sim,sei de mim.

Tata Junq
Enviar um comentário