sexta-feira, 28 de agosto de 2015

De cronista a ...poeta,rapidinho ..."conjecturas malucas..."




Docinho-de-coco,chega aqui juntinho...
O olhar cafajeste,despiu-a.
Sentiu-se suja,mas linda,provocante,mulher.
Deixou-se levar...
Era o troco que daria a ele,um belo par de chifres.
E não é que gostou?!
E não é,que o garotão,metido a esperto,carrega um galho enorme na cabeça?
Virou piada no bairro... e faz-se de besta.
Até que...
Na manhã de ontem,amanheceu morto,matado.
Pensou que seria ela a morrer?
Morreu também,morta matada, na manhã de ontem.
Misteriosamente,no mesmo horário,do mesmo dia,só muda o local.
Então ...
Assunto comum...chato,repetitivo ... relacionamento,traição,morte ...
Falar de outra coisa?
Entendo,também me entendia.
Falemos de religião ... não?
Verdade.
Num leva a nada ...
Falemos de futebol ... não?
Encrenca na certa.
Falemos de política ... não?
Melhor mesmo ...
Calar a boca? ... ahhhh ...sim!
Dormir,posso?
Sonhar,inclusive?
Ahhhh....sim.
Mas quero mesmo é um bom café,pra ficar desperta,esperta.
Esquece tudo,agora sou poeta.
Tata Junq

Enviar um comentário