terça-feira, 21 de julho de 2015

Do Projeto,Uma Alma Feminina : Eutanásia?!

                                       Imagem por pesquisa no Google.)

Ninho,que não o de tico-tico,virou bosta.
Assim,sua cama,infectada.
Um coitado,no abandono.
Assim encontrado,seco,qual graveto das terras improdutivas.
Só uma companhia,o cão-lazarento e chagado,igualmente.
Os olhos sobressaíam ,porque as maçãs do rosto,eram pele no osso.
Um olhar,cor de jabuticaba,evasivo,perdido na janela,aberta.
Antigamente,rezava pra chover.Hoje,pra morrer.
Assim o encontramos ... depois de andarmos muito.
Dei-lhe água...escorreu pelo peito ...sua boca quebradiça,não abriu.
Suas chagas tinham bichos,vermes, que o comiam em vida.
Pensei depressa na possibilidade da eutanásia.
Mas estávamos lá na missão de resgate.
Bastava uma mísera injeção.
Nada de arrependimento pelos meus pensamentos.
Poderíamos abrandar ,estancar esse sofrimento.
Levamos horas da desinfecção do corpo ... vermes retirados com pinças e habilidades de Germano.
Folhas balsâmicas ...por sobre as feridas ...profundas ....e muitas suturas ...
Ele não se mexia,não gemia,não chorava.
Aquele olhar seco,incomodava-me.
Estava semi-morto.
Levamo-lo ao território dos Baúbas ...com a licença do Pajé.
Depois de tantos rituais,vi feridas sendo cauterizadas pelo fogo em brasa.
Depois de algumas semanas,retornamos,e para nossa surpresa,aquele olhar já não era mais perdido,e nos espreitava com bondade,agradecido.
Foi aí,que defrontei-me com meus valores. Por mim,ele teria sido "sacrificado",para abreviar todo aquele sofrimento.
Que Deus é esse?! Um Pajé-semi-Deus? Deus no Pajé?
Deus nas mãos de Germano?
Deus em minhas lágrimas,agora.
Quando abraçamos as causas humanitárias,acabei deixando nas estradas,os milagres,pisando nas realidades cruéis.
Não dá tempo para divagar mais ...o jipe de Germano está sendo carregado ...ele já deu um toque de buzina...
Meu diário vai pra mochila ...
E vamos nós ... os retirantes.

Isaura Vargas.
( Uma Alma Feminina.)
Do Projeto,Uma Alma Feminina.
Tata Junq
Enviar um comentário