domingo, 14 de junho de 2015

Poetando: Fragmentos.

                                                      ( Imagem retirada do Google)

Pendurei amor,
 no varal do seu quintal.
O Sol secou,
o vento levou.
Acho que pra tão longe,
sem 
eira
 nem beira.
Será que haverá quem o queira?
Tão toques,
tão digitais...
Tão alvuras nos varais!
Ao vento,
neste pincelar de momento,

meus -ais!
Tão contraditório foi,
ao dizer,
apaixonar-me,
jamais.
Ainda gosto dos ventos,
mesmo assim.
Mesmo
 ao
 ter 

de mim.
Dó da dor
que sinto,
de ter pendurado,
 junto,
sonhos,
esperançados.
Do vento,
 só uivos 
de volta,
alardeando
 ecos:
Em
vão!
Em
vão!
Em
vão,
ão,
ão,
ãooooooo...!!!

Tata Junq
Enviar um comentário