segunda-feira, 18 de maio de 2015

Do Projeto, Alma Feminina: Relato ( Doente de amor.)

((((((((((((((((((((((((Imagem recebida,desconheço a fonte.))))))))))))))))))))))))

Na desordem,a ordem.
Num puzzle,monto sua imagem,meio que distorcida,
do tempo da partida.
Recomponho seu retrato,que rasguei com gosto,mesmo que amargo.
Que fraqueza a minha agora...
Que fraqueza!
Aproveito o fogo da lareira,pra essa saudade deixar também de me queimar.
Lanço você!
Quero que queime,pedacinho por pedacinho.
E se houver inferno,que lá queime,sem cessar.
...

Tudo estaria certo,se o telefone não tocasse insistentemente ...
Ele chegou,abri o grande portão,esqueci a dor,que me dilacerou em semanas.
Olho-o na cama,estirado,no depois de tanto amarmo-nos...
Pergunto-me: está louca?
Abrigar esse verme que lhe dilacera?
Sim,louca de amor.
Doente de amor.
Esperando que ele acorde,beba todo o dia,cuspa-me no rosto,chame-me de vadia ... e,quando meio sóbrio,de amor.
Assim inconsequente,bebendo-o,para viver.
Assim que sou,vezes,arrependida.

Uma mulher.
( Do Projeto Alma Feminina.)

Tata Junq
Enviar um comentário