domingo, 26 de abril de 2015

Do Projeto, Alma Feminina, MALA VAZIA.



Qual mala na esteira,senti-me ... e fui distanciando-me,entre tantas ...
Fui! Fui! Fui!
Ignorada fui.
Em meio a tantas pessoas,era uma ET?
Claro que não.
Se fosse,seria a sensação,meio a tanta gente.
Perdi o sorriso,a calma.
Entrei em parafusos.
Entrei em pânico,sozinha num país sombrio,o do medo.
Medo.
Cheguei.
Acho que minha transpiração e respiração desordenada,denunciaram-me.
Foi então,que num esbarrão o conheci.
Do espanto,ao sorriso.
Do medo,ao acaso,hospitalidade social...
Assim,ao acaso do acaso,João surgiu.
E,resumindo a história,trabalhamos na mesma empresa,acabamos numa mesma cama,partilhamos vivência,até que ...sua mulher descobriu..
Eu,também.
Bígamo.
Pior,declarou-se solteiro.
Crime de falsidade ideológica.
E foi tão amado,pelas duas.
Vezes penso que deveríamos fazer parte de outra cultura.
Mas não suportaria "dividi-lo",nem ela.
Cultura à parte,egoísmos bem enraizados.
Conclusão: deu-se mal,foi condenado.
E fomos condenadas também à infelicidade.
Sinto-me mala-perdida de aeroporto,sem alça e vazia.
Fazendo meu checking agora .

Uma Alma Feminina
( Do Projeto, Alma Feminina.)
Tata Junq
Enviar um comentário