segunda-feira, 13 de abril de 2015

Crônica ... Florisbela.

                          ( Imagem recebida,sem procedência de registro.)


E as rosas cresceram mais que ela.
Em botão,abriu a guarda,nasceu do casulo,da compaixão,serena,uma borboleta.
E,conviveram,porque assim se diz,a ordem da Natureza.
As rosas mais velhas,não viveram para sempre,deram lugar às mais novas-belas.
A borboleta,de tão linda,efêmera,colheu néctares,polinizou encantos,voou e secou também,qual folha ao vento,num outono qualquer.
Ficou,entretanto,entre tantas,a menina-sonhadora e bailarina.
Mora no encantador espaço-colo,que abriga amor,coração tão seu.
E,sorri contente,porque abriga borboletas,multicoloridas,facetadas pelo esforço ao saírem dos casulos ... mas tão belas.
A menina,sonha,sentada à janela.
Florisbela,é ela.

Tata Junq
Enviar um comentário