sábado, 21 de fevereiro de 2015

Pensamentando & Musicando a vida. Mário-Mar.




Lembrou-me um tempo de brisas e caminhadas inventadas,pela orla
marítima.
Pés nus,gosto do sal na boca,uma andança sem fim.
Murmúrios ... do mar,falando-me de tristezas,numa ressonância-concha,
tão minha.
A solidão e a beleza da tarde.
O vazio ... idos,1969.
Contei conchas e letras de seu nome,Mário.
Mário-Mar!
Ouvindo seu cantar.
Doce cantar.
Doce olhar,que perdido, ficou,num domingo-azul-escuro.
Por onde andará o garoto-doce,como o mel?
No "Céu"?
Tata Junq

Enviar um comentário