quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Do Projeto,Alma Feminina,Noé.



Inverno.
Ela,invernou também,envolta às lembranças.
Naquela sala havia quenturas,saudade morna,ainda,dos afagos ...doces lembranças.
Sofás vazios,ausência da família.
Companhia dos gatos,já envelhecidos,também.
E deixou-se envolver pela preguiça ...
Uma calmaria tomou conta de seu ser,completamente.
A cuidadora,percebeu o sono excessivo ...e, também sua ida.
Pacificamente,tranquila,fez sua passagem.
E, a vida?
Continua ...
Invernos,verões,primaveras,outonos ...
Olho através da janela,aquela casa agora vazia.
Saudades da dona Noé, do seu sorriso doce,da sua mansidão de espírito,
das suas histórias,dos seus sorrisos, de suas lágrimas ... das partilhas ...
Um dia,serei eu,a despedir-me.
Nostalgicamente,meu olhar alcança,as rosas,que resistem lá fora.
Uma beleza que se compara à Noé.
E,sorrio.
Creio que é o melhor a fazer agora.
Noé,virou, Anjo-Criança, no céu!!!!
( Uma Alma Feminina.)
Tata Junq


segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Níver do Caçula!!!!!



Você chegou e modificou nossas vidas, "Titoi"!!!!
Vitor Eduardo Junqueira Soares )
Acredito,que nosso reencontro,meu ANJO-AMIGO!!!!
Trazê-lo ao "Mundo",foi mágico e "facinho,facinho" ...rsrsrs...e, não há gratidão tamanha,pelo custo-benefício...rsrs... procuro rir, mas já chorei ...mas na plenitude,amorosa,que nos enlaça,agradecida por ser sua mãe e por ser meu filho.
Agradeço sua vida,nas nossas,em construção e aprendizagens.
Alegrias? Todas!!!!
Parabéns por sua vida!!!
Bjinsbjinsbjinsbjinsbjinsbjinsbjinsbjinsbjinsbjins...
T amuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu... sem fimmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm!!!!
Mamis

Projeto,Crônicas Esparsas : Aposentou-se.


( Imagem,meramente ilustrativa,retirada em pesquisa,no Google.)

Pensou que o Mundo fosse uma caixa de sapatos,guardou as chuteiras,rotas no tempo,colocou os chinelos de borracha,como cachorro,mijou na caixa e gargalhou por uns segundos.
Desdenhoso,como o lobo,na fábula das uvas,olhou pro céu e fingiu ser forte.
Veio a chuva-das-lágrimas,perdido por sair da rotina de tantos anos de trabalho.
Deveria estar feliz. Tem medos,no entanto.
Passa a mão no rosto,procurando as marcas da velhice,mas encontra a barba por fazer,sentindo-se culpado de seu desleixo,permitido por hora.
Pensou em sair,dar umas voltas,ao menos pelo quarteirão.
Desistiu da idéia. Como misturar-se às crianças do prédio,ou das ruas?
Muita diferença nas idades....
Frustra-se novamente. Os adultos,estão trabalhando.
Os jovens,devem estar nas escolas,para ganharem o Mundo.
Envelheceu ... viúvo,com filhos em outros países.
Morreu um pouco de si.
Aposentou-se.
Agora, a batalha é outra,aceitação.
Quando viu,estava no parque.
E,descobriu nos rostos das pessoas que por lá estavam,algo de alegria,serenidades.
Uns liam,absortos. Outros,dialogavam. Outros exercitavam-se.
Outros desfrutavam do calorzinho,largados,qual lagartos.
Enxugou as lágrimas,sorriu meio que amargo ainda.
Estava vivo, impactado,apenas.
Impactado.
Pertencente ao Mundo-dos-ignorados,ignorante administrador daqueles dias,primeiros,livre das obrigações do Gabinete.
Eureca!
A vida tinha sido ligeira.

Tata Junq

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Do Projeto Palavras ao Vento ...




Para reflexão do dia, uma observação de ... Einstein: “Tenho medo do dia em que a tecnologia vai se sobrepor à interação humana. O mundo terá uma geração de tolos”. Desejo-lhes uma "nova semana" de paz e alegrias,antecipadamente. E, um domingo,feliz!
JUNQ

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Musicando a madrugada, tão somente e pensando cá com meus botões ...rsrsrs



Como pode-se "consertar" coração partido ?!
Acredito, que seja como vaso trincado ...  você o cola, mas perfeito,
nunca será, por mais que sejamos restauradores renomados ...
E assim caminha a humanidade ...
Sentimentos ... depósitos d'alma.
Tata Junq

Pensamentando & Musicando ... Simples assim.


E, vamos de MPB ...
Quem nunca sentiu saudade?!
Aras,não minta!!!!
Que venham saudades,seja por quem for,sem machucar.
A saudade,ressuscita um tempo,uma gente.
E, é construtiva.
Sempre aprenderemos com as pessoas.
Sentir saudade,faz parte.
Hoje já resgatei várias pessoas,que marcaram minha vida.
E, cá entre nós, só se tem saudade,se a marca deixada,foi boa!
Né mesmo?
Tata Junq

Recebi e partilho ...romantismo ainda existe?


The Twelfth of Never
You ask how much I need you; must I explain
I need you, oh my darling, like roses need rain

You ask how long I'll love you; I'll tell you too
Until the twelfth of never, I'll still be loving you

BRIDGE

Hold me close, never let me go
Hold me close, melt my heart like April snow

I'll love you till the bluebells forget to bloom
I'll love you till the clover has lost its perfume
I'll love you till the poets run out of rhyme
Until the twelfth of never and that's a long, long time

(Return to bridge and pick up.)

Hold me close, never let me go
Hold me close, melt my heart like April snow

I'll love you till the bluebells forget to bloom
I'll love you till the clover has lost its perfume
I'll love you till the poets run out of rhyme
Until the twelfth of never and that's a long, long time

TAG
Until the twelfth of never and that's a long, long time
O Décimo Segundo de Nunca
Você pergunta o quanto eu preciso de você; devo explicar
Eu preciso de você, oh meu querido, como as rosas precisam da chuva

Você pergunta quanto tempo eu vou te amar, eu vou lhe dizer também
Até o décimo segundo de nunca, eu ainda vou te amar

PONTE

Segure-me perto, nunca deixe-me ir
Segure-me perto, derreta meu coração como neve de abril

Eu vou te amar até que as campânulas esqueçam de florescer
Eu vou te amar até que o trevo perca seu perfume
Eu vou te amar até que os poetas fiquem sem rima
Até o décimo segundo de nunca e isso é um longo, longo tempo

(Voltar para ponte e pegar.)

Segure-me perto, nunca deixe-me ir
Segure-me perto, derreta meu coração como neve de abril

Eu vou te amar até que as campânulas esqueçam de florescer
Eu vou te amar até que o trevo perca seu perfume
Eu vou te amar até que os poetas fiquem sem rima
Até o décimo segundo de nunca e isso é um longo, longo tempo

TAG
Até o décimo segundo de nunca e isso é um longo, longo tempo


Link: http://www.vagalume.com.br/johnny-mathis/the-twelfth-of-never-traducao.html#ixzz3SRn1GSPq

Senta que lá vem HISTÓRIA!!!

( Imagem recebida através de um post-amigo...não sei a procedência da imagem.)

Senta que lá vem História!


A Lâmpada
A primeira lâmpada elétrica foi obra de um grande cientista americano, Tomas Alva Edison, que a fabricou cerca de 1880. Antes disso, já se havia empregado a energia elétrica para iluminação com as lâmpadas em arco, que, todavia, não eram práticas e serviam apenas para a iluminação das ruas e de alguns logradouros públicos. Essas lâmpadas eram constituídas por duas hastes de carvão, pontudas com os dois extremos a pouca distância: fazendo passar a corrente, formava-se uma descarga elétrica, muita luminosa, entre uma ponta e outra.
Edison compreendeu que as lâmpadas a arco não podiam, por certo, ter muita difusão, e teve uma idéia brilhante, isto é, a de tornar incandescente um fio sutilíssimo de carvão, dentro de um espaço em que houvesse sido retirado o ar: de tal modo, o carvão podia arder, sem consumir-se rapidamente: assim, quando ele conseguiu realizar o vácuo no interior de uma pequena ampola de vidro, tinha aparecido a primeira lâmpada.
Muito interessante foram, sem dúvida, as experiências que o cientista americano tentou para obter uma luz elétrica durável e resplendente. A princípio, ele usou um filamento de platina, para torná-la incandescente, mas este metal era muito caro; depois, experimentou, pondo-os de lado numerosos outros metais. Afinal, tentou com um filamento de carvão, empregando um mero fio de algodão. A primeira lâmpada fabricada com este tipo de filamento, contido num tubo de vidro sem ar, resistiu por mais de quarenta horas, assinalando um recorde não desprezível para a época. Mas Edison não parou aqui; experimentou outros filamentos de papelão carbonizado e, depois, de bambu, também carbonizado. Este último permaneceu em uso por mais de dez anos e ele foi substituído, primeiro, pela celulose e, depois, pelo atual tungstênio.
Neste ponto, vemos a que se deve o aparecimento de luz no interior da lâmpada. É preciso saber que, quando a corrente elétrica passa através de um fio de metal ou através de qualquer meio condutor, encontra uma certa resistência em sua passagem: este efeito (efeito joule, nome do físico inglês que o descobriu) tem como conseqüência que a energia se transforma, em parte, em calor, e o calor produzido será maior ou menor, segundo a resistência do condutor. É, este, o princípio sobre o qual está baseado o funcionamento das estufas elétricas e dos ferros elétricos, nos quais há filamentos que apresentam uma grande resistência à passagem da corrente (por isso, comumente chamados resistências) e produzem muito calor.
Explorando o mesmo efeito no filamento de uma substância que, se tornando incandescente, emita uma notável luminosidade, pode-se produzir luz. Foi essa a idéia que orientou Edison na realização da primeira lâmpada, e os fatos que lhe deram razão, porque, desde, estão as lâmpadas incandescentes encontraram um sucesso incontestável. Somente no Brasil, consomem-se, hoje, várias dezenas de milhões de lâmpadas por ano, ao passo que, no mundo inteiro consomem-se bilhões.
As lâmpadas que usamos são, naturalmente, diferente daquelas de Edison, isto é, das primeiras que eram bem rudimentares. Nos pequenos globos de vidro, ao invés do vácuo, há um gás especial, inerte, que se combina facilmente, e por isso não permite ao filamento queimar-se, e, ao mesmo tempo permite também, alcançar altíssimas tmperaturas, o que não era possível com o vácuo. O filamento de uma lâmpada comum (de tungstênio) torna-se incandescente a temperaturas que beiram os 3.000 graus!
O funcionameno da lâmpada incandescente é simplíssimo: a corrente elétrica, que é produzida pelas centrais hidroelétricas e termoelétricas, chega, através da tomada de rosca, que serve para inserir a lâmpada no soquete, a duas pequenas antenas de metal, que são escoradas por um suporte de vidro: as duas antenas transmitem, por suas vez, a corrente ao filamento, que se torna incandescente.
O filamento, porém, não é inalterável, depois de um certo período de tempo, se gasta e quebra-se: é o que acontece quando dizemos que a lâmpada "queimou".

(netopedia.tripod.com/invenc/lampada.htm)
*************************************************************

A imagem é bela.
Sutil bailarina,que ilumina,dança.
Só não sorri,trabalha.
Então fui buscar uma musiquinha,encantada também,quem sabe vira fada,pula pra dentro da caixinha,aí sim,será guardada,como preciosidade de uma jóia rara.
Fada-Luz!
( Que um dia,foi criada.)

Tata Junq

Pensamentando & Musicando a vida. Mário-Mar.




Lembrou-me um tempo de brisas e caminhadas inventadas,pela orla
marítima.
Pés nus,gosto do sal na boca,uma andança sem fim.
Murmúrios ... do mar,falando-me de tristezas,numa ressonância-concha,
tão minha.
A solidão e a beleza da tarde.
O vazio ... idos,1969.
Contei conchas e letras de seu nome,Mário.
Mário-Mar!
Ouvindo seu cantar.
Doce cantar.
Doce olhar,que perdido, ficou,num domingo-azul-escuro.
Por onde andará o garoto-doce,como o mel?
No "Céu"?
Tata Junq

Poetando às avessas! ÁGUIA!!!!( Se verdade... correeee ...rsrsrsrs ...)








Assombra-te,           
quando                             
estiver                                  
revolta,                                  
como               
mar-bravio.             
E,           
mais...           
E,                
mais.mais,mais ...                           
quando                
recolhida-águia,             
subindo              
à montanha,                 
a          
afiar              
garras                        
e     
bico.                 
O voo-retorno,                           
será                
na rasante,                 
impiedoso.          

Tata Junq

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

No Silêncio da noite ... Imaginar ou dormir? ( 2º conselho da noite de hoje.)PENSAMENTANDO & MUSICANDO)

( Imagem recebida,não sei a procedência.)




No silêncio da noite,os sentimentos dormem?
Ou agitam-se,numa compulsividade?
Ou sonambulizam-se?
Criam ecos,as obscuridades?
Sei que deveríamos nos resguardar ... e no silêncio da noite,buscarmos pacificação.
"Carinho faz bem ...",qualquer imbecil,reconhece.
Carinho-imediatista à nossa "caixa-pensante-operante"!!!
Já! 
Dormir em paz.
Deixar carinhos pra depois...
E se não houver depois?
Ahhhhhhhhhhhhhh ... foda-se!
- Dormir, agora,Dona Tata!!!
E, você,aí,perdido na madruga,também.
Ame-se mais,durma o suficiente ... reponha energias.
Tudo combinado?
Então,boa noite!

Tata Junq

Se conselho valesse ...poeminha às avessas! ( NÃO)

                                  ( Imagem retirada do Google.)

Chorar,
mas
não sofrer.
Não sofra,
não mate,
não morra.
Habita o Sol,
em aventuras,
claras.
Quentes
quimeras,
carvão
em
brasas.
Não espere!

Tata Junq

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Pois é,babacaiada!!!!


Indica-se para o ONDE!!!!
Nem há questionamentos ....e todos na mesma direção... Ô...Ô,Ô,Ô,meu Santo Tomatinho!!!!
Empresta tua cor vermelhinha,de maduro,e tinge as "caras" dos desavisados,acomodados,iludidos e ignorantes,deste país,chamado, BRASIL.
Que adianta agora pressionar e querer impeachment?!
Palhaçada total!!!!
Tata Junq

Declaração! ( 1ª, de 2015.)


Subi montanhas,cruzei riachos,rios,mares,vales,desertos,caatingas,dunas,lagos...
e cada vez mais vi a distância.
Pedregulhosa estrada,sem retornos ou contornos,andei.
Meus pés sangraram.
Minha boca secou amarga e salgada.
Minha pele,desbotou.
Minha alma debulhou espinhos,cactus se tornou,
água verteu,necessária.
Não sucumbiu,carregou corpo cansado.
Entre olhos secos e molhados,horizonte alcancei.
Assombrada,ajoelhei diante da magnitude do céu,em
arco-iris.
Eu sabia do pote,que mataria minha sede,noturna ou diurna.
Nada de ouro,ou tesouro,sobrevivência.
Não o fim,talvez suavizar um recomeço.
A cada passo,aprendi,ser um ser sozinho, para motivar-me a ser inteiro.
Um EU,não precisa de outro EU, para encontrar-se.
Eu+ Eu= NÓS????
Não!
Eu+Eu= EU.
Desculpem-me,queridos,todos.
CRESCI!!!!
Não brinco mais de procurar metades,para tornar-me inteira.
Não tenho pretensões de ser perfeita,mas melhorada.
E,aprendi não olhar pra trás ... caminho percorrido,já deu mostras das pedras;dos terrenos secos;das flores que já murcharam,cumprindo seus ciclos;das gramas frias,mas invasoras;dos matos rasteiros,que se tornaram matagais;das águas vertentes,que diminuíram volume;dos frutos,que árvores não produzem mais; ou abundâncias, que sobrecarregam e afogam ou soterram ...
A ordem é seguir em frente,até o último,ai.
Nos caminhos a percorrer,há sempre espaços,à nossa direita,esquerda,frente ou atrás ...a estrada é livre,acompanhar-me-á,quem quiser ter-me como companhia.
Mas não queiram que eu seja suas metades.
Agora sei e tenho convicção,SOU INTEIRA!!!
E estimo que cada pessoa,também seja inteira,ou faça força para descobrir a sua outra parte,ainda perdida.
Sigamos em paz!
Tata Junq 

E a canção virou silenciosa oração. ( Pensamentando vou ...)




E a canção virou silenciosa oração,
A alma, cantarolou-a,baixinho,baixinho ... e,necessariamente,agigantou-se,o corpo,"bateu pés no chão"!!!!
Tata Junq


INTUIÇÃO

Canta uma canção bonita,
Falando da vida, em 'Ré maior'.
Canta uma canção daquelas
De filosofia,
E mundo bem melhor.

Canto uma canção que agüente
Essa paulada, e a gente
Bate o pé no chão.
Canta uma canção daquela
Pula da janela
Bate o pé no chão.

Sem o compromisso estreito
De falar perfeito,
Coerente ou não.
Sem o verso estilizado,
O verso emocionado
Bate o pé no chão...

Canto uma canção bonita
Falando da vida, em 'Ré maior'.
Canto uma canção daquelas
De filosofia,
E mundo bem melhor

Canta uma canção que agüente
Essa paulada, e a gente
Bate o pé no chão.
Canto uma canção daquela
Pula da janela
Bate o pé no chão.

Sem o compromisso estreito
De falar perfeito,
Coerente ou não.
Sem o verso estilizado,
O verso emocionado
Bate o pé no chão...

Canto o que não silencia
É onde principia a intuição
E nasce uma canção rimada
Da voz arrancada
Ao nosso coração

Com ou sem licença, o sol
Rompe a barra da noite
Sem pedir perdão!
Hoje quem não cantaria
Grita a poesia
E bate o pé no chão!

E hoje quem não cantaria
Grita a poesia
E bate o pé no chão!

Sem o compromisso estreito
De falar perfeito,
Bate o pé no chão
Sem o verso estilizado,
O verso emocionado
Bate o pé no chão...

Canta uma canção bonita
Falando da vida, em 'Ré maior'.
Canto uma canção daquela
De filosofia,
Do mundo bem melhor.

Canta uma canção que agüente
Essa paulada, e a gente
Bate o pé no chão.
E hoje quem não cantaria
Grita a poesia.
Bate o pé no chão...
(Oswaldo Montenegro)






terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Significativas Palavras-Arte : Miguel Torga,LIBERDADE.

                   (imagem retirada do Google.)


Liberdade

— Liberdade, que estais no céu... 
Rezava o padre-nosso que sabia, 
A pedir-te, humildemente, 
O pio de cada dia. 
Mas a tua bondade omnipotente 
Nem me ouvia. 

— Liberdade, que estais na terra... 
E a minha voz crescia 
De emoção. 
Mas um silêncio triste sepultava 
A fé que ressumava 
Da oração. 

Até que um dia, corajosamente, 
Olhei noutro sentido, e pude, deslumbrado, 
Saborear, enfim, 
O pão da minha fome. 
— Liberdade, que estais em mim, 
Santificado seja o vosso nome.    

Miguel Torga, in 'Diário XII' A Arte das Palavras

*** Tem BEM MAIOR?
LIBERDADE," que está em nós"!!!!!!
Tata Junq

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Pensamentando: Loucuras.



Quem tem medo,de Maria,a louca?
Quem tem medo de Sofia,a louca?
Quem tem medo do João,o louco?
E do Ernesto-louco?
Tão assim,sofismático-medo...
O medo,do medo de entender pessoas.
Que ousam?
Que são o que são?
As que são o que não são?
Tresloucados,danos-julgamentais!
Cuidados!
Não contrarie,os loucos,jamais!
E vou aqui passando,com meus -ais ...
por todos danos,morais!
E se a riminha é injusta,
convença-me,se for capaz!

Tata Junq 

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Se ...



                                 ( Imagem retirada do Google.)


Se

Se desvio o olhar,
tropeço.
Se tropeço,
caio,
na
rede
de
seu
amor.
Como será,
sendo sereia,
muda em canção?!
Triste tristeza,
em
não sorrir.
Cisma em cismar,
que
estarei presa,
neste porão,
de seu amplo barco.
E em prantos,
crio águas em agonias,
procurando sobreviver.
Por que resistir?
Se sei,sendo morta,
aos poucos

bocados
de amor,
morrerei?!

Tata Junq

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Na partilha da madrugada.. ... recebi e repasso.


















Mar de amor
(Phil Phillips & the Twilights)

**** No Mar-de-Meus-Pensamentos, cabe vc, neste momento.
Obrigada, Miguel, pelas partilhas musicais e amizade.
Tata Junq


Venha Comigo
meu amor Para o mar
O mar do amor

Eu quero te Dizer
Quanto
Eu te amo


Você se Lembra
Conhecemos QUANDO nsa
Esse è o dia
Eu Sabia Que era rápido Você meu animalzinho de estimação

Eu quero te Dizer
Quanto
Eu te amo


Venha Comigo
meu amor
Para o mar
O mar do amor

Eu quero te Dizer
Quanto
Eu te amo


Senta que lá vem ... estória ou história? Fera Ferida.

                           ( Imagem retirada do Google.)

As mãos de fino trato,tocaram-na suavemente.
Ergueu seu queixo,mirou seus olhos azuis-céu,e suspirou profundamente,
sem conter as lágrimas de alegria.
Era omo se estivesse diante de sua filha.
Ahhhh ... a genética,tinha sido de um favorecimento,incrível.
Tanto tempo,para achá-la,desejando tê-la em seu convívio.
Uma bisneta,naquele pavilhão dos horrores.
As mulheres,espreitavam a cena,curiosas. Jane,nunca recebera uma visita qualquer.
Seus olhos, miravam o pátio,indiferentes.
Parecia alheia às palavras,aos toques ternos,da bisavó.Afinal,nem sabia de sua existência.Aliás, foi criada ao sabor do vento,bebidas e drogas.
Aliás,aliás,aliás...
Simplesmente matara um homem às marteladas,mais um na facada,alucinada.
Não recebeu uma internação,mesmo sendo psicologicamente incapaz. 
É chamada de, A Louca.
Olhos fixos de uma fera arredia,esperando o abate, mas impondo-se,resistente.
Viver por viver... tudo faz mecanicamente.
Vezes balbucia,sons inarticulados,desordenados.
Seus olhares falam por ela.
Todas sabem da faca que carrega.
Aliás,quem não é possuidora de uma arma na carceragem?
Em aliás em aliás ... esta senhorinha nada poderá fazer por ela,a lei impede.
Ahhhh ..."funciona",não faz parte da elite,senão,teria o conforto de uma clínica,e o tempo de confinação abreviado.
"Normal"!
A senhorinha, Leda Regina, passou por constrangimentos para adentrar no presídio,mesmo assim submeteu-se a. E,sua cuidadora,também.
Sabe que seu tempo está encurtando a cada dia, mas valeu a pena,tê-la encontrado.Seus advogados,já entraram em cena, com recursos,para tornar a Jane "capaz".Afinal será uma,entre herdeiros, de uma fortuna,incalculável.
Na certeza o panorama atual,vai ser revertido.
Parte da fortuna,já patrocina um Instituto de recuperação de Menores.
Muitas buscas para a localização da Jane,rastreamentos,para buscas de possíveis legítimos, herdeiros.
Se comprovações, há, olhando para aquela criatura,não haveria dúvidas, cópia escarrada de uma de suas filhas.
O tempo dirá o futuro desta história.
A mim coube,esclarecer,superficialmente, o que acontece agora.
A procura de anos e anos, de criaturas,e o achado: uma Fera, ferida!

R. J
( Do Projeto,Alma Feminina.)
Tata Junq

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Do Projeto, Palavras ao Vento: CALAR.



"QUEM CALA,CONSENTE?"
( Diz o dito popular.)
Muita vez,melhor o SILENCIAR,como melhor resposta ... nem sempre é o ACEITAR,ou o ADMITIR ... é o CONSCIENTIZAR-SE,que há PESSOAS,que NEM MERECEM RETALIAÇÕES. 
PERDA DE TEMPO!!!!

*** SUA SAÚDE,VAI BEM?!
Melhor cuidar dela e de sua vida,pois não?!
( Conselho básico,que deveria ser prioridade de todos.)

Tata Junq

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Assim ...

As pessoas passam por nós,olhares vezes curiosos,ou indiferentes.
Meu olhar acompanha o vai-vem.
Termino o exercício ... e,busco a biblioteca,com minha amiga.
( Desde a infância.)
Fui pelo título, fotografei-o... para um dia absorvê-lo por inteiro,como suco de abacaxi,com hortelã,o que mais gosto.
Em contraposição,a miguxa,escolheu outro,em minha homenagem ...rsrsrsrs..
Dizendo: - É a tua cara!
Dividimos conversa com um novo amigo,também professor.
Ahhhh!!! O poder das palavras ... uma amizade.
Interessante ... as pessoas cruzam nossos caminhos,"de repente,não mais que de repente."
E,creio de fato,que aprendemos nesta vida,com o "outro(a)",seja quem for,no momento que for.
Uns nos acrescentam,com sabedorias,outros,com condutas inadequadas,acrescentam,igualmente.
Afinal,conceituar é prejulgar ... mas cada um avalia sua vida,seus conhecimentos e seus possíveis crescimentos.
Nascemos e aprendemos.Não dizemos que ao ver uma criança,desenvolvendo-se,"nossa como cresceu"!!!!!
Pois é,como o desenvolvimento físico,nosso espírito,alma,seja lá como chamar,também se desenvolve.
Como num todo,crescemos e crescemos e crescemos ... e, cada um ,responsável por seu amadurecimento.

O percurso,acaba nos mostrando o "real" de um ser.E, o nosso também... e, se modificarmo-nos,faz parte,afinal não somos robôs programados.
Feliz daquele,que com o tempo,seja um semeador de bons frutos.
Tarefeiros do bem.
Neste final de semana,senti o calor da amizade,que permanece,desde minha infância.
Éramos três,agora somos duas.





Uma já se foi ... e,deixamos de cumprir alguns sonhos,programados.
( A viagem,e a procura de nós mesmas ...)

Mas eu faço minha viagem,todos os dias,tentando juntar cada partícula de mim,como num quebra-cabeça ...
Coube-me  neste final de semana,conhecer uma senhorinha fantástica,e dei créditos à vida,mais do que já dou.

Tata Junq