terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Prosa poética, Uma Alma Feminina,OS SENTIDOS.



Cega?
Enxergo ainda.
Mesmo em vendas,
há brilho das estrelas,
numa Constelação Láctea,
há brilho nos olhares,
nos sorrisos,
nos sóis,
girassóis,
nas flores,
nos amores,
nas donas,
nos donos,
da vida,
nos danos,
nas dores,
nas alegrias,
nas histórias,
nas recordações,
nas possíveis inovações,
nas areias,
onde piso agora,
sem olhos,
no toque de meus pés.
Com ouvidos plenos,
escutando o murmúrio do mar.
Com olfato apurado,
o ar de sal.
Com tato,
meu coração.
Não é preciso o olhar.
Só o sentir.
Só o sentir...
Apenas o sentir.
E devo o meu tato,
a você.
Tão distante.
Tão indiferente.
Meu olhar,não segue o seu.
Você é um mirante do Mundo.
Não mais o meu.
E há o vento,
que leva a partir de agora,
todos meus ais.
A pele sente,
a alma sente,
voo pra outros cais.

Uma Alma Feminina.

( Do Projeto, Alma Feminina.)

Tata Junq


Enviar um comentário